Massimo Percossi/AP
Massimo Percossi/AP

Neozelandês Evans vence etapa de Roma da Fórmula E e brasileiros são coadjuvantes

Lucas di Grassi termina apenas na sétima colocação e Felipe Massa sai da prova antes do fim

Redação, Estadão Conteúdo

13 de abril de 2019 | 14h18

Em uma corrida maluca, que contou com um acidente incomum no início que deixou a prova paralisada por 45 minutos e um embate eletrizante pela vitória no final, Mitch Evans venceu a etapa de Roma da Fórmula E neste sábado, assegurando seu primeiro triunfo nesta temporada.

O piloto da Nova Zelândia travou um briga acirrada com André Lotterer. Ele abriu uma vantagem relevante na ponta depois de utilizar o modo de ataque para ultrapassar o adversário, chegou a errar, mas teve tranquilidade para segurar as investidas do alemão e triunfar pela primeira vez na sétima prova deste campeonato.

O belga Stoffel Vandoorne, que correu "sozinho" durante boa parte da prova, completou o pódio. Robin Frijns, Sébastien Buemi e Oliver Rowland foram quarto, quinto e sexto colocados, respectivamente.

O brasileiro Lucas Di Grassi terminou no sétimo posto e Felipe Massa, bem como o companheiro de equipe Edoardo Mortara, abandonou a prova em razão de um problema no eixo de transmissão. Jérôme D'Ambrosio, António Félix da Costa e Pascal Wehrlein fecharam o Top 10 em Roma.

O acidente bizarro que mudou o rumo da corrida foi causado por José María López. O piloto argentino, que já havia perdido posições na largada depois de sair do traçado, encostou na traseira de Sam Bird, que, por sua vez, bateu no muro. López ainda perdeu o controle na curva e também foi parar no muro, prejudicando Gary Paffet, que acertou o carro do argentino e recebeu uma pancada forte de Jean-Éric Vergne. O acidente envolvendo os quatro deixou o restante dos pilotos estacionados atrás do tumulto, e uma bandeira vermelha interrompeu a corrida por 45 minutos.

López, Vergne e Bird conseguiram voltar para a corrida e apenas Paffett abandonou no incidente. As batidas foram benéficas a Andre Lotterer, que se manteve na frente na relargada e Mitch Evans, que já havia ultrapassado Vandoorne antes da bandeira vermelha.

Evans usou o modo ataque disponível para ir para cima de Lotterer. Deu certo: nos dez segundos restantes da ativação, ele forçou o rival para fora da linha de traçado e consumou a ultrapassagem na chicane. Recebeu uma advertência, mas valeu a pena, já que manteve a ponta até o final.

Os pilotos voltam a acelerar daqui a duas semanas, em 27 de abril, na etapa de Paris, na França.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula ELucas Di GrassiFelipe Massa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.