Nevasca pode atrasar início do Dakar

As fortes nevascas que caem no norte da Espanha pode provocar atraso no início do Rally Paris-Dakar. Dezenas de estradas foram fechadas em conseqüência da grande quantidade de neve acumulada na pista. Nos poucos trechos abertos, motoristas demoravam seis horas para percorrer 100 quilômetros. Como a maioria dos participantes é da Europa, a organização já se mostra preocupada sobre um possível atraso na chegada dos carros à Barcelona.O brasileiro Klever Kolberg pode não escapar do problema. Seu carro, um Mitsubishi Pajero Full, foi preparado pela Ralliart na Alemanha. A previsão é que o veículo desembarque nesta terça-feira na cidade catalã. "Se as nevascas continuarem, não sei se vão conseguir trazer o carro", disse o piloto, que participa do Dakar pela 18ª vez. Na manhã desta segunda-feira, Kolberg e seu navegador, Lourival Roldan, aproveitaram para correr e fazer exercícios físicos em uma academia no centro de Barcelona, de acordo com a assessoria de imprensa dos pilotos.André Azevedo, outro experiente integrante da equipe Petrobras Lubrax, também já está em Barcelona. Assim como Kolberg, ele participa da prova pela 18ª vez. Ao lado de seu primo, Luiz Azevedo, ele compete ao volante de um caminhão Tatra, produzido na República Tcheca. Em 2003, André foi vice-campeão do Dakar. Seu irmão, Jean Azevedo, piloto da KTM 700, chegou esta manhã. Bem disposto, apesar das mais de 12 horas de viagem, ele já planejava encontrar com seu mecânico Geraldo Lima para iniciar os acertos dos últimos detalhes no motor da motocicleta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.