Samsul Said/Reuters
Samsul Said/Reuters

Nico Rosberg exalta Mercedes, mas quer carro mais 'confiável'

Mesmo vencendo o GP da Austrália, piloto não ficou totalmente satisfeito com desempenho da equipe

AE, Agência Estado

27 de março de 2014 | 11h21

KUALA LUMPUR - O alemão Nico Rosberg começou a temporada 2014 da Fórmula 1 da melhor maneira possível, com uma boa vitória no GP da Austrália, realizado no último dia 16. O resultado, no entanto, não deixou o piloto totalmente satisfeito com o desempenho da Mercedes. Ele lembrou que seu companheiro de equipe, o inglês Lewis Hamilton, teve que abandonar a prova por problemas mecânicos e, por isso, pediu um carro mais "confiável" para o GP da Malásia, que acontecerá neste domingo, no Circuito de Sepang.

"A Austrália foi o começo perfeito para minha temporada, mas também evidenciou que não estamos 100% ainda em termos de confiabilidade. Nós tivemos duas semanas antes dessa corrida para identificar todas as coisas que podíamos melhorar, então espero que possamos trazer ambos os carros para a casa com um bom resultado neste final de semana e continuar nosso forte começo de ano", declarou.

Segundo a análise de Rosberg, de fato a confiabilidade é o único problema enfrentado por ele e Hamilton neste início de temporada, já que o alemão não tem dúvidas de que a Mercedes tem o carro mais veloz em 2014. De acordo com o piloto, a equipe precisa aproveitar isso neste começo de campeonato para abrir vantagem em relação aos principais concorrentes.

"Precisamos manter o momento e não deixar nossos rivais nos alcançarem. Isso é a coisa mais importante: continuar forçando. Nós estávamos confiantes e agora nosso desafio é óbvio. Estamos velozes. Somos o carro mais rápido, o que é incrível. É uma sensação muito boa. É incrível", comentou.

Já Hamilton confia em seu bom retrospecto na Malásia para esquecer a decepcionante estreia na Austrália. "Eu terminei em segundo na minha estreia na Fórmula 1 aqui em 2007 e estive no pódio nos últimos dois GPs da Malásia, mas ainda não venci aqui. Seria incrível subir ao lugar mais alto do pódio e estou ansioso para voltar à ativa depois de um início complicado na Austrália", apontou

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.