Pavel Golovkin / POOL / AFP
Pavel Golovkin / POOL / AFP

Hamilton tem nova chance de igualar recorde de vitórias de Schumacher no GP de Eifel

Piloto inglês da Mercedes pode alcançar pódio de número 91 na F-1

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de outubro de 2020 | 08h00

Depois de desperdiçar a oportunidade no GP da Rússia, no final de setembro, o britânico Lewis Hamilton tem outra chance de igualar o recorde de 91 vitórias na Fórmula 1 de Michael Schumacher neste domingo, na terra do lendário piloto alemão. Local do primeiro Grande Prêmio Eifel (nome da região), Nürburgring foi um dos palcos de Schumacher, nascido a menos de 100 quilômetros de lá e onde ele venceu cinco vezes.

O circuito, conhecido especialmente por testemunhar o grave acidente do austríaco Niki Lauda em 1976, já recebeu 40 GPs desde 1951 em diferentes pistas. Sua última aparição no calendário da Fórmula 1 foi em 2013. Hamilton, em sua primeira temporada com a Mercedes, alcançou a pole position, mas terminou em quinto. O alemão Sebastian Vettel, à época na Red Bull, venceu os pilotos da Lotus, Kimi Räikkönen e Romain Grosjean.

Sete dos atuais 20 pilotos do grid estavam presentes naquela ocasião (Hamilton, Valtteri Bottas, Vettel, Räikkönen, Grosjean, Sergio Pérez, Daniel Ricciardo), embora os mais jovens tenham pilotado neste circuito em categorias inferiores. Como no caso de Mugello (Itália) em meados de setembro, Portimão (Portugal) no final de outubro, Ímola (Itália) no início de novembro e Istambul em meados de novembro, o circuito de Nürburgring não fazia parte do programa da temporada 2020, mas entrou no calendário graças à modificação em meio à pandemia do coronavírus.

Até 20 mil espectadores poderão testemunhar a nova tentativa de Hamilton após sua frustração na Rússia. Em Sochi, há duas semanas, o seis vezes campeão mundial ficou sem a vitória por duas penalizações de cinco segundos enquanto treinava a largada em local não autorizado.

Hamilton não escondeu sua raiva. De qualquer forma, ele mantém uma vantagem confortável na liderança do Mundial, com 44 pontos a mais que o seu companheiro de equipe, Bottas. 

COVID

Um membro da Mercedes, cuja identidade não foi divulgada, testou positivo para covid-19 antes do GP de Eifel. "Não posso dizer qual impacto terá no fim de semana. A equipe está cheia de ótimas pessoas, não pode responder por apenas uma pessoa", disse Hamilton.

O protocolo de saúde implementado pela Fórmula 1 prevê um teste de detecção antes de cada circuito e, em seguida, a cada cinco dias. Foi montada uma espécie de "bolha" para limitar os riscos de contágio e os casos positivos são isolados imediatamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.