No México, Alonso quer repetir o desempenho dos EUA: 'Foi a melhor prova do ano'

Fernando Alonso quer repetir no GP do México, no fim de semana, o desempenho que exibiu nos Estados Unidos, domingo passado. Na avaliação do espanhol, a corrida em Austin foi sua melhor da temporada, ainda que tenha cruzado a linha de chegada em 11º, fora da zona de pontuação. Durante a corrida, chegou a figurar em 5º.

Estadão Conteúdo

29 de outubro de 2015 | 18h50

"Em Austin, nós fomos mais competitivos em todas as sessões em todo o fim de semana. Na corrida também. Foi provavelmente a melhor corrida do ano para mim. Nas primeiras 20 voltas, acho que em nove eu fui mais rápido que Lewis [Hamilton], o que não acontecia há dois anos e meio!", afirmou o espanhol, nesta quinta-feira, na Cidade do México.

Alonso atribui o bom rendimento em Austin ao esforço da McLaren nas últimas provas. "A equipe está fazendo um grande trabalho e todo mundo está se esforçando bastante para melhorar a situação. Todos os novos componentes estão entregando os resultados esperados. Com certeza a equipe está seguindo um bom caminho neste ano", declarou.

"Claro que houve momentos difíceis, frustrantes às vezes. Mas nos mantemos unidos, nos movendo em uma direção única. Para o próximo ano, acho que não teremos os problemas que enfrentamos neste ano", disse o bicampeão da Fórmula 1.

Apesar da motivação renovada, Alonso não sabe se a McLaren vai conseguir repetir a performance no México. A etapa está voltando ao calendário da F1 neste ano e nenhum piloto tem experiência no traçado mexicano após a reforma realizada nos últimos anos. Nem mesmo o local Sergio Pérez.

Além da novidade, os pilotos terão que enfrentar a altitude de 2.250 metros da capital mexicana. "Com certeza teremos uma condição diferente aqui. Vamos ter que tomar mais cuidado com a preparação física, por causa da altitude", reconheceu Alonso, sem revelar quais cuidados tomará para não sofrer maior desgaste físico ao longo do fim de semana.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1GP do MéxicoAlonso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.