Clive Mason/AP
Clive Mason/AP

Nos EUA, Hamilton exalta evolução no ano e projeta o penta da F-1 com cautela

Piloto da Mercedes vem de quatro vitórias seguidas na temporada e viu distância para Vettel aumentar

Estadão Conteúdo

18 Outubro 2018 | 17h50

Com quatro vitórias consecutivas e muito perto do pentacampeonato da Fórmula 1, o piloto inglês Lewis Hamilton não sabe explicar o motivo pelo qual seu desempenho na segunda metade dos campeonatos desde 2014 propicia pelo menos uma série de três vitórias seguidas, o que leva o desânimo aos seus adversários.

"Eu realmente não tenho uma explicação consistente para isso. É uma combinação de várias coisas. Naturalmente, como piloto, percebo que melhorei ao longo do ano, mas acho que também como equipe, coletivamente, fizemos um trabalho melhor em todas as áreas, e então a Ferrari, com certeza, não fez um trabalho tão bom", disse o britânico da Mercedes, nesta quinta-feira, em Austin, no Texas, onde neste domingo correrá o GP dos Estados Unidos com chance de faturar o título por antecipação.

Hamilton afirmou que o aprendizado na Fórmula 1 é constante. "Estamos melhorando o carro o ano todo e como tirar o máximo proveito dele. Tem sido assim desde que comecei em 2007 e acho que é provavelmente o mesmo para todas as equipes e pilotos."

Campeão pela Mercedes em 2014, 2015 e 2017, o piloto inglês venceu as corridas da Itália, Cingapura, Japão, Rússia e, se repetir nos Estados Unidos o primeiro lugar - desde que o alemão Sebastian Vettel termine no máximo na terceira colocação, vai ficar com o título da temporada, com três provas de antecipação.

Dono também de um título pela McLaren, obtido em 2008, Hamilton vai conquistar o penta se marcar oito pontos a mais do que Vettel em Austin neste fim de semana, um feito que o igualaria ao argentino Juan Manuel Fangio, que ganhou cinco campeonatos da F-1 entre 1951 e 1957. Mas isso não parece tirar a concentração do britânico.

"Como um time, nenhum de nós está dizendo como seria legal se isso acontecesse neste fim de semana, ou no próximo", disse Hamilton. "Não estamos nos concentrando em 'se', mas estamos nos concentrando em garantir um bom desempenho. Ainda há 100 pontos em jogo, então você nunca pode desconcentrar em um campeonato tão intenso quanto este."

Os primeiros treinos livres em Austin terão duas sessões nesta sexta-feira: das 12 às 13h30 e das 16h às 17h30 (horários de Brasília). No sábado, a sessão classificatória para o grid começa às 18h. No domingo, a corrida tem início às 15h10.

Depois do GP dos Estados Unidos, o calendário da F-1 reserva mais três provas: México, no próximo dia 28, Brasil e Abu Dabi, respectivamente em 11 e 25 de novembro.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.