Mauro Pimentel;/AFP
Mauro Pimentel;/AFP

Novatos da Fórmula 1 aproveitam GP do Brasil para 'estágio' nas equipes

Pilotos de teste e candidatos a titulares nos próximos anos ganham chance para demonstrar serviço

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

10 Novembro 2018 | 05h00

O fim da temporada da Fórmula 1 e o fato de a data da prova em Interlagos não coincidir com compromissos da Fórmula 2 mexeram com a escalação de pilotos para o GP do Brasil. Jovens candidatos à vaga no grid no futuro se apresentaram em São Paulo pela chance de demonstrarem serviço e ganharem experiência durante o fim de semana da corrida.

A espécie de temporada de estágio é útil tanto para equipes como para pilotos. "É bom para o piloto já se acostumar e conhecer a equipe, o circuito e o funcionamento da nossa organização. Acho até importante também para o próprio novato aprender a lidar com outras atribuições, como nas entrevistas de imprensa", explicou o diretor esportivo da McLaren, o brasileiro Gil de Ferran.

O diretor está em Interlagos acompanhado por um desses jovens aprendizes. O mineiro Sérgio Sette Câmara, de 20 anos, foi confirmado no começo desta semana como piloto de testes da escuderia inglesa e pela primeira vez está com a equipe durante um GP. 

O novato ainda demonstra timidez com o novo mundo. Na quinta-feira, por exemplo, demonstrou surpresa ao ver a quantidade de jornalistas à espera de sua entrevista coletiva. Como se fosse em um time de futebol, o fim de semana foi a primeira vez em que ele vestiu a camisa: Câmara agora já usa peças com a marca da McLaren.

Com 22 anos, Pietro Fittipaldi está no mesmo processo. Confirmado pela Haas como piloto de testes, ele teve o primeiro dia como funcionário da equipe e passou horas nos boxes. 

Nos últimos anos a própria organização da categoria abriu os treinos livres de sexta-feira para a presença desses novatos. Nesta sexta, foram três pilotos que tiveram a oportunidade de guiar o carro das suas equipes. Em busca de vaga na Force India, o canadense Nicholas Latifi, de 23 anos, estava inseguro.

"Eu queria ter sido mais rápido, mas eu estou satisfeito. Quando você entra no carro, o que mais você quer é não cometer erros bobos e conseguir ajudar o time a preparar o carro para os pilotos titulares", disse. No entanto, Latifi acabou fazendo o pior tempo da sessão.

Mais outros dois novatos puderam correr no treino livre. O inglês Lando Norris, de 18 anos, assumirá um assento de titular na McLaren em 2019. "Eu posso observar o que o Alonso e o Vandoorne (piloto reserva) fazem. Correr nos treinos é uma grande ajuda para aprender mais. Com essa experiência, não vou precisar fazer uma temporada inteira para adquirir conhecimento", explicou. Outro a ser testado foi o italiano Antonio Giovinazzi, que correrá pela Sauber na próxima temporada.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.