Novo diretor esportivo da Mercedes diz que não pode errar

Toto Wolff sabe que será cobrado mesmo que não tenha participado do processo de concepção do carro da Mercedes

AE, Agência Estado

13 de fevereiro de 2013 | 15h57

BRACKLEY - Novo diretor esportivo da Mercedes, Toto Wolff afirmou que se sente pressionado a suceder bem Norbert Haug. Assim, mesmo recém-contratado, ele avaliou que terá uma parcela de responsabilidade caso a equipe não obtenha sucesso imediato na temporada 2013 da Fórmula 1.

"É tudo uma questão de colocar o seu pescoço na forca. Ele sabem que eu coloquei o meu pescoço na forca e sei que não tenho margem para erros", disse. "Não só assumi um risco pessoal deixando a Williams - onde eu gostava de trabalhar -, mas há também o lado financeiro e econômico", completou o dirigente, em entrevista ao site oficial da Fórmula 1.

Wolff sabe que será cobrado mesmo que não tenha participado do processo de concepção do carro da Mercedes para a temporada 2013. "Eu poderia dizer que não tive nenhum envolvimento com o carro de 2013, o que é a verdade, mas isso não conta. Eu estou aqui há duas semanas, mas ninguém se importa se eu já estou aqui há um ano ou uma semana", disse.

O novo dirigente, porém, avaliou ainda ser cedo para pensar em mudanças na equipe técnica da Mercedes. "Farei tudo o que for necessário para fazer essa equipe bem sucedida. Primeiro, vou ver e ouvir, depois irei executar a minha opinião", comentou.

Em 2012, a Mercedes terminou o Mundial de Construtores na quinta colocação e venceu uma corrida, o GP da Europa, com Nico Rosberg. Para esta temporada, a equipe manteve o alemão e contratou o britânico Lewis Hamilton, na principal movimentação promovida no mercados de pilotos. Assim, espera ser protagonista em 2013.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1MercedesToto Wolff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.