Stefano Rellandini/Reuters
Stefano Rellandini/Reuters

Organizadores do GP da Itália revelam acordo para renovar com a Fórmula 1

Com contrato válido apenas até este ano, etapa em Monza deve assinar novo vínculo até 2024

Redação, Estadão Conteúdo

30 de abril de 2019 | 11h34

Circuito que mais recebeu corridas de Fórmula 1 na história - faz parte do calendário desde a estreia em 1950 -, Monza vai continuar recebendo o GP da Itália durante os próximos cinco anos, até 2024. Nesta terça-feira, o Automóvel Clube da Itália, proprietário da pista e promotor da prova, revelou que chegou a um princípio de acordo com a Liberty Media, conglomerado de telecomunicações dos Estados Unidos que detém os direitos da principal categoria do automobilismo mundial.

De acordo com Angelo Sticchi Damiani, presidente do Automóvel Clube da Itália, a assinatura do novo contrato será feito em breve. "Vamos continuar as negociações com a Fórmula 1 para rapidamente assinarmos o novo contrato", escreveu o dirigente no Twitter da entidade italiana situada na região da Lombardia.

Garantido por contrato até este ano, a corrida em Monza está programada para acontecer no dia 8 de setembro. Será a 14.ª etapa da temporada de 2019, a penúltima na Europa.

Já o GP de Espanha, que acontece no circuito de Montmeló, em Barcelona, e é a próxima etapa da temporada de 2019, no dia 12 de maio, pode deixar de integrar o calendário da Fórmula 1 a partir da próxima temporada. Por conta da presença de Max Verstappen na categoria, A Liberty Media estuda a entrada de Zandvoort, na Holanda, em 2020. Se a decisão for confirmada, será a volta do GP da Holanda, que não é realizado desde 1985.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.