Amanda Perobelli / Reuters
Amanda Perobelli / Reuters

Pai de Nicholas Latifi empresta R$ 318 milhões para a equipe Williams

Dinheiro vai ajudar escuderia inglesa a equilibrar contas e garantir os seguros dos carros históricos

Redação, Estadão Conteúdo

11 de abril de 2020 | 17h24

A tradicional equipe Williams recebeu uma ótima ajuda em período de pandemia do coronavírus. Uma doação de 50 milhões de libras (cerca de R$ 318 milhões) do empresário canadense Michael Latifi, pai do piloto Nicholas Latifi.

O dinheiro vai ajudar a equilibrar as finanças, além de garantir o seguro dos carros históricos, avaliados em 20 milhões de libras (cerca de R$ 127 milhões) e o terreno e os prédios em Grove, na Inglaterra, local da sede, no valor de 30,7 milhões de libras (R$ 195 milhões).

Na temporada passada, a Williams ficou em último lugar no Campeonato Mundial de Construtores, com apenas um ponto, conquistado pelo polonês Robert Kubica, substituído este ano por Latifi, que terá como companheiro o britânico George Russell.

Nos últimos dois anos, a equipe foi a última colocada entre as dez participantes. Fundador do time, Frank Williams ainda detém 52,3% da escuderia.

Fundada em 1977, a Williams soma nove títulos mundiais de construtores e sete de pilotos, um deles com o brasileiro Nelson Piquet (1987), mas não é campeã desde 1997.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.