Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Palmeirinha espera conseguir completar o Rally Dakar

Depois de dizer adeus à disputa anterior do maior rali do mundo já no quarto dia, o piloto Paulo Nobre, o Palmeirinha, volta ao Rally Dakar em 2007 - a largada será no dia 6 de janeiro, em Lisboa, Portugal. A competição terá 14 brasileiros divididos entre motos, caminhões e carros.Desta vez, Palmeirinha acredita que terá mais condições de completar a prova - ele correrá com um carro BMW X5 CC e representará a equipe alemã New Dimension X-Raid. ?Como na minha estréia abandonei a prova cedo, diria que este será meu primeiro Dakar?, diz o piloto brasileiro, que terá ao seu lado, pela primeira vez, o navegador português Filipe Palmeiro.O abandono no Dakar serviu de estímulo. Palmeirinha passou a disputar provas internacionais para ganhar experiência. Disputou o Mundial de Rali Cross-Country, nas etapas de Marrocos e Egito, terminando na quinta e segunda posições, respectivamente, na categoria geral. O bom desempenho lhe rendeu a terceira posição na classificação final da temporada, ficando atrás do campeão, o russo Sergey Shmakov, e do francês Luc Alphand, que foi o vencedor do Rally Dakar de 2006.?Agora tenho mais bagagem, estrutura, equipe (que terá outros cinco quatro carros na disputa da prova). Tudo isso me deixa seguro. A gente sempre corre para ganhar, mas se terminar entre os 30, ficarei satisfeito. Se terminar entre os dez, terei o mesmo sabor que sente o francês Stephane Peterhansel ao vencer a prova?, afirmou Palmeirinha.Sobre as dificuldades que encontrará, seu maior pesadelo, ele acredita, serão as ?dunetes?, as dunas menores, na Mauritânia. Segundo Palmeirinha, são trechos ?muito cansativos?, com especiais pequenas (400 km), mas que podem durar 12 horas. ?Como ainda não passei por essa experiência na Mauritânia, só de olhar as fotos das dunas fico assustado?, admitiu o piloto.A aproximação do piloto com a equipe começou em janeiro, durante o Dakar de 2006. ?Foi amor à primeira vista. Eu ficava observando os carros da equipe largarem e sonhando com a possibilidade de um dia pilotar uma máquina daquelas?, contou o brasileiro. Ele convenceu a equipe a disputar o Rali dos Sertões - Palmeirinha pilotou o modelo BMW X3 e agradou. ?Me disseram que se conseguir, no Dakar, correr 70% do que o carro oferece, já estarão felizes.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.