Para BMW, Williams vence no Canadá

O austríaco Gerhard Berger, diretor da BMW, fornecedora de motor da Williams, afirmou nesta quarta-feira, diferentemente da prudência costumeira, que Ralf Schumacher e Juan Pablo Montoya, pilotos da Williams, podem vencer o GP do Canadá, domingo em Montreal. Depois comentou, reiterando uma impressão que ganha força a cada dia na Fórmula 1. "Durante o GP de Mônaco, uma coisa me chamou a atenção. O modelo F-2002 da Ferrari talvez não seja esse fenômeno de desempenho. A diferença pode estar nos pneus.? O mérito das grandes diferenças que a Ferrari está impondo a seus adversários este ano, em especial com o seu novo carro, F-2002, parecem não ser apenas do projeto. A pole position obtida por Montoya em Mônaco e a vitória de Coulthard, ambos com pneus Michelin, mostraram que muito da eficiência da F-2002 provém dos pneus Bridgestone. A análise é de Berger. Se a Michelin produzir para a etapa de Montreal um pneu tão bom quanto o distruibuído para a corrida do Principado, a Williams vai, como em 2001, quando venceu com Ralf Schumcher, lutar pelo primeiro lugar. Já Barrichello afirmou, depois de passar alguns dias descansando em Miami, estar "batendo na porta da vitória." Ele falou mais de si mesmo:"Em todas as corridas este ano fiz algo que me deixou satisfeito comigo, como as pole positions em Melbourne e na Áustria e a melhor volta na prova de Mônaco." Ele acha que o circuito Gilles Villeneuve é perfeito para a Ferrari F2002, que a cada etapa melhora sua velocidade. "O nosso último teste em Silverstone foi muito proveitoso", disse.Barrichello foi sempre o mais rápido nesses testes. Villeneuve - O promotor da F-1, Bernie Ecclestone, acredita que o campeão do mundo de 1997, Jacques Villeneuve, "nunca mais" irá pilotar para uma equipe de ponta. "Jacques preferiu o dinheiro a carros que lhe permitissem lutar pelas vitórias." O filho de Gilles Villeneuve deixou a Williams no fim de 1998 para competir pela BAR. Ele ganha algo em torno de US$ 16 milhões por temporada, segundo maior salário da F-1. "Nenhum outro time lhe pagará o que ele ganha", falou Ecclestone. Minardi - Paul Stoddart, sócio da escuderia italiana, confirmou que se não receber o dinheiro a que tem direito da Formula One Management (FOM) não terá como continuar na F-1 depois do GP da Grã-Bretanha, dia 7 de julho. A FOM não liberou os cerca de US$ 12 milhões que a Minardi tem direito como sua parte na divisão direitos de TV porque ainda existe uma pendência jurídica envolvendo a iniciativa da pseudo equipe Phoenix. Esse time ainda luta para disputar o Mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.