Para Ecclestone, não há favorito absoluto para o título da F-1

Chefão da categoria acha que todos merecem o título da temporada, que será decidido no Brasil

EFE

12 de outubro de 2007 | 16h13

O inglês Bernie Ecclestone, presidente da Formula One Management (FOM), empresa que administra a Fórmula 1, afirmou que não existe um favorito absoluto para a conquista do Mundial de Pilotos da categoria, que será decidida no Grande Prêmio Brasil, no dia 21 de outubro, no autódromo de Interlagos, em São Paulo. Veja também: Classificação do Mundial Leia mais no Blog do Lívio Fórmula 1: a matemática do título de 2007  Quem será o campeão da Fórmula 1?Ainda estão na briga pelo título o inglês Lewis Hamilton (McLaren), que lidera a competição com 107 pontos, o espanhol Fernando Alonso (McLaren), que tem 103, e o finlandês Kimi Raikkonen (Ferrari), com 100. "Para mim não há um favorito absoluto, embora Hamilton tenha uma maior probabilidade matemática, e isso é uma evidência. Mas assim como ele, Fernando também merece o título, porque nunca se deu por vencido, com sua personalidade de lutador, e Kimi, que chega pela terceira vez no final da temporada com possibilidades de vitória, após uma primeira temporada na Ferrari, que também não foi fácil, e na qual também não se deu por vencido", afirmou. Ecclestone afirmou ainda que Hamilton é o primeiro de "uma nova geração de pilotos que chega da GP2 muito preparada e que tem a oportunidade de fazer história". "Ele chegou muito motivado, aprendeu depressa com um bicampeão do mundo e o fez muito bem, e por isso está aí, lutando por um título que não tem um favorito absoluto, especialmente com a corrida no Brasil, onde realmente tudo pode acontecer", disse. "Eu gosto da competição e por isso dediquei a maior parte da minha vida a trabalhar por este esporte. Chegarem três pilotos com chances de título à última corrida é algo que ocorreu poucas vezes (é a nona ocasião), e é o que melhor pode acontecer para a Fórmula 1 nos nossos dias".

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Bernie Ecclestone

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.