Para Ferrari, F-1 com novas regras deveria se chamar GP3

Escuderia italiana ironiza decisão da FIA e derrota na Justiça com limite de orçamento para as equipes em 2010

EFE

20 de maio de 2009 | 12h06

MONTECARLO - Horas depois de perder a primeira batalha sobre as novas regras da Fórmula 1 na Justiça francesa, a Ferrari ironizou e disse que a categoria poderia se chamar 'Fórmula GP3' a partir de 2010, levando em conta o regulamento proposto pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

Veja também:

tabela F-1: classificação do Mundial

especial Confira o calendário da temporada

especial ESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

 

Em nota, a equipe do brasileiro Felipe Massa e do finlandês Kimi Raikkonen expressou preocupação pela ausência das grandes marcas na lista de pré-inscritos para o ano que vem.

 

"Os fãs da Ferrari não acreditaram ao ver nos jornais os nomes das equipes que manifestaram sua intenção de correr ano que vem. Wirth Research, Lola, USF1, Epsilon Euskadi, RML, Formtech, Campos e iSport, estas são as equipes que deverão competir na Fórmula 1 de duas velocidades que Mosley quer", afirma.

 

As críticas fazem referência direta ao inglês Max Mosley, presidente da FIA. Ele propôs um pacote de regras que inclui um limite orçamentário de 45 milhões de euros e vantagens às equipes que resolverem adotá-lo.

 

"Um Mundial com estas equipes, com todo o respeito do mundo para elas, pode ter o mesmo valor da Fórmula 1 de hoje onde estão a Ferrari, os grandes construtores e escuderias que fizeram história neste esporte? Não seria mas adequado chamá-la Fórmula GP3?", completa a nota.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FIAFotaMax MosleyFerrari

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.