Para Hamilton, GP da China ainda não é a decisão da F-1

Rescaldado após derrota em 2007, inglês quer evitar clima tenso de 'final' na penúltima etapa do Mundial

AE, Agencia Estado

18 de outubro de 2008 | 10h32

Após conquistar a sua sétima pole position na temporada, no GP da China, a penúltima etapa da Fórmula 1 do ano, o piloto inglês Lewis Hamilton, da McLaren, afirmou que não está encarando a corrida no circuito de Xangai como a decisão do título e que está convivendo bem com a pressão de estar próximo de vencer o campeonato.Veja também: Hamilton é pole na China, e Massa sai em terceiro lugar"Não posso pensar nisso (título antecipado). Por mais excitante e incrível que pode ser, só estará acabado quando terminar. Não estou tratando o dia de amanhã (domingo) como aquele no qual vou dar tudo. Temos apenas que levar com calma e tentar marcar o máximo de pontos possíveis", declarou o piloto, após o treino classificatório. Sobre a pressão de estar próximo do título e correr o risco de deixar o título escapar, como aconteceu em 2007, o inglês disse que não está tendo problemas com o nervosismo. "Pelo meu resultado de hoje (sábado), vocês podem ver que estou convivendo bem com a pressão. Não tive nada na minha mente a não ser o pensamento de fazer uma boa volta". Hamilton disse que aprendeu com o GP do Japão, no qual largou na pole, mas uma freada equivocada na primeira curva lhe custou a liderança da corrida. "Tenho que levar a corrida passada em consideração. Deixarei isso na minha memória para ter certeza de que não cometerei o mesmo erro duas vezes", explicou.Em relação a possibilidade de ser prejudicado por outros pilotos durante a corrida, o inglês não demonstrou preocupação. "Kimi é um campeão mundial. Ele não é um cara estúpido", declarou. "Tenho certeza de que ele quer ganhar a corrida tanto quanto qualquer um. Tenho total confiança de que ele será sensível", disse, se referindo a Kimi Raikkonen, segundo colocado no grid e companheiro de Felipe Massa na Ferrari."Não tenho com o que me preocupar. Alonso é bicampeão mundial. Ele também é um cara sensível. Felipe tem muita experiência. Então acredito que eles são pessoas respeitáveis e que vão brigar pela vitória com fair play", afirmou. Nesta semana, o espanhol Fernando Alonso declarou que, se possível, tentaria ajudar o brasileiro Felipe Massa a conquistar o título.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1GP da ChinaLewis Hamilton

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.