Para Massa, Todt ainda desempenha papel importante na Ferrari

Jean Todt ainda desempenha umimportante papel na Ferrari, apesar de ter deixado o cargo dechefe da escuderia, afirmou na quinta-feira o piloto brasileiroFelipe Massa. Todt, um francês que comandou a equipe italiana durante obem-sucedido período no qual ela obteve seis títulos deconstrutores em sequência, de 1999 a 2004, passou o cargo aoitaliano Stefano Domenicali, no final do ano passado. Na terça-feira, Todt renunciou também ao posto depresidente-executivo da Ferrari, mas continua a ser membro doconselho e deve realizar missões especiais para a divisão decorridas da empresa. "Ele ainda participa das decisões mais importantes daequipe de Fórmula 1 da Ferrari. Acho que ele ainda continua ater muita responsabilidade pelo que está acontecendo naequipe", afirmou Massa, em uma entrevista coletiva concedidadias antes do Grande Prêmio da Malásia. "Ele ainda está 100 por cento", acrescentou. "Talvez elenão compareça a todas as corridas, talvez não trabalhe mais das7h da manhã às 9h da noite como fazia antes. Mas ainda estarápor perto quando forem tomadas as decisões mais importantes." Todt não compareceu à prova de abertura da atual temporadade Fórmula 1, o Grande Prêmio da Austrália realizado no fim desemana passado. Porém, encontra-se na Malásia para a segundacorrida do ano, marcada para domingo. A Ferrari marcou apenas um ponto em Melbourne, seu piorinício de temporada em 16 anos, com o campeão mundial KimiRaikkonen classificando-se em oitavo lugar apesar de os carrosda equipe não terem chegado ao final da prova devido aproblemas nos motores. "Aquela foi uma corrida muito maluca. Não apenas para mim,para Kimi ou para a equipe", afirmou Massa, que antes de pararhavia rodado, logo no começo da prova, e depois colidido comDavid Coulthard, da Red Bull. "Infelizmente, tivemos uma corrida muito ruim para os doiscarros e também para a equipe por conta de questões deconfiabilidade", acrescentou. "Isso não aconteceu por causa das novas regras, por causadas modificações que tivemos em relação ao ano passado. Não foiisso que ocasionou os problemas. O fato é que aquela foi umacorrida ruim para nós." Segundo Massa, o motor de seu carro teve uma pane nosistema de válvulas na Austrália. O piloto, no entanto, afirmouacreditar que a equipe já resolveu esse problema. "Conversando com um engenheiro, nota-se que estamosbastante confiantes sobre termos conseguido resolver esseproblema", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.