Para Rubinho, asa móvel pode ser decisiva em Mônaco

Às vésperas do GP de Mônaco de Fórmula 1, que acontece neste domingo, a principal dúvida é sobre o uso da asa móvel na corrida. A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) determinará em quais pontos da pista o sistema poderá ser usado, o que, para os pilotos, pode decidir o rumo que tomará a prova.

AE, Agência Estado

24 de maio de 2011 | 11h30

"Precisamos esperar para ver como poderemos usar a asa móvel. Enquanto a FIA é consciente da notória dificuldade de ultrapassagem em Mônaco, eles querem tornar isso possível sem que os pilotos corram riscos. Estou com a mente aberta para qualquer que seja a decisão", declarou Rubens Barrichello.

O brasileiro alerta para o fato de o GP de Mônaco acontecer nas ruas do principado, com muitas curvas, o que o torna mais lento e complicado para os pilotos conseguirem as ultrapassagens. Por isso, o uso da asa móvel, que aumenta a velocidade do carro, pode representar riscos. A FIA já anunciou que a utilização da asa será proibida dentro do túnel no traçado de Mônaco, por razões de segurança.

Companheiro de Barrichello na Williams, o venezuelano Pastor Maldonado não esconde a ansiedade em fazer sua primeira corrida em Mônaco na Fórmula 1. "Para mim é uma atmosfera mágica e poder correr aqui em um Fórmula 1 sempre foi um sonho meu. Adoraria marcar meus primeiros pontos do ano aqui", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.