Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Para Vettel, terceiro era o máximo que a Ferrari poderia neste sábado

Piloto sai atrás de Nico Rosberg e Lewis Hamilton em Interlagos

ALMIR LEITE, O Estado de S. Paulo

14 de novembro de 2015 | 16h09

O alemão Sebastian Vettel disse ter conseguido, neste sábado, a melhor posição que lhe era possível no grid de largada do GP do Brasil de Fórmula 1. Ele sai em terceiro, na segunda fila, atrás da dupla da Mercedes, Nico Rosberg e Lewis Hamilton. Ele disputa o vice-campeonato da temporada com o seu compatriota e tem consciência de que a desvantagem é grande.

"Em outras corridas, a Ferrari estava mais próxima do que aqui", disse Vettel depois do treino oficial deste sábado em Interlagos, quando cravou o tempo de 1min11s804, mais de meio segundo (0s522) atrás da pole feita por Rosberg (1min11s282). O piloto da Ferrari soma 251 pontos, em terceiro lugar no Mundial de Pilotos, contra 272 de Rosberg. Hamilton, já campeão, tem 345.

Vettel até tinha esperança de se intrometer entre os dois pilotos da Mercedes e conseguir um lugar na primeira fila do grid. Mas ela se foi quando ele percebeu o desempenho dos rivais. "Eles foram perfeitos no Q3, não erraram. Eu consegui a melhor posição que era possível, era o máximo que a Ferrari poderia".

Ele tem consciência de que essa também deverá ser a tônica da corrida deste domingo. Mas não se dá por vencido antecipadamente. "Se eu tiver oportunidade, vou atacar". O otimismo existe pelo fato de que a Ferrari progrediu do treino de sexta-feira para a classificação deste sábado, de acordo com o piloto. "Fomos capazes de melhor e acho que a corrida poderá ser interessante para nós".

Como vários outros pilotos, Sebastian Vettel também teme ter problemas com os pneus na corrida de 71 voltas deste domingo. Ele reclamou que a pista estava bastante escorregadia nos treinos de sexta-feira e não descarta a possibilidade de um desgaste excessivo no GP. "Não podemos descartar que enfrentemos problemas com os pneus".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.