Isabel Peláez/Efe
Isabel Peláez/Efe

Pastor Maldonado acredita nos primeiros pontos nas ruas de Mônaco

Piloto venezuelano confia no bom retrospecto em provas anteriores para chegar entre os dez

Livio Oricchio - Enviado Especial, O Estado de S. Paulo

21 de maio de 2013 | 15h54

NICE - Alguns pilotos indentificam-se com determinados circuitos de tal forma que não importa a categoria que disputam ou mesmo a sua equipe: invariavelmente se apresentam muito bem, e de forma regular, conquistam ótimos resultados.

Esse é o caso de Pastor Maldonado, da Williams. Sempre que a corrida é nas ruas de Mônaco é possível esperar um grande trabalho do venezuelano. Ele próprio reconhece ser possível no fim de semana marcar os primeiros pontos do time inglês este ano. O modelo FW35-Renault tem problemas aerodinâmicos crônicos. Nos treinos livres de quinta-feira, a partir das 5 horas, horário de Brasília, Maldonado terá uma série de novos componentes no carro, visando torná-lo minimamente competitivo.

Mas por ser Maldonado que o conduzirá no GP de Mônaco, a prova, sexta do calendário, representa a melhor oportunidade de um bom resultado até agora na temporada. “É possível pensar em terminar entre os dez primeiros”, afirmou o piloto para o site da revista inglesa Autosport.

Em 2006, Maldonado disputou a Fórmula Renault 3.5, pela equipe Draco. Já na estreia na veloz categoria venceu nos 3.340 metros do Principado. No ano seguinte transferiu-se para a GP2, competição considerada a ante-sala da Fórmula 1. Pela modesta escuderia Trident ganhou a prova de Mônaco. Uma temporada mais tarde, na GP2 também e pela Piquet Sport, terminou a corrida em segundo. Pela Art, em 2009, nova vitória enquanto em 2010, na Rapax, foi segundo, ambas na GP2.

A estreia de Maldonado na Fórmula 1 ocorreu em 2011, pela Williams. Mesmo dispondo de um carro pouco equilibrado, poderia ter ido ao pódio em Mônaco se não tivesse sido colocado para fora da pista por Lewis Hamilton, da McLaren, na primeira curva do traçado de rua, Sainte Devote.

Trata-se de um retrospecto nas categorias de acesso à Fórmula 1 que nenhum outro piloto tem em Mônaco. E não há dúvida de que esse algo a mais que Maldonado possui em relação ao circuito que Ayrton Senna venceu seis vezes, sendo cinco seguidas, de 1989 a 1993, sempre com McLaren, poderá mesmo levá-lo a dar a Williams o que o carro, por si só, não seria capaz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.