ANDREJ ISAKOVIC / AFP
ANDREJ ISAKOVIC / AFP

Pérez surpreende na Arábia Saudita e crava primeira pole da história do México na Fórmula 1

Em treino marcado por acidente de Mick Schumacher, Lewis Hamilton é eliminado ainda no Q1 e Max Verstappen larga em 4º

Redação, Estadão Conteúdo

26 de março de 2022 | 16h20
Atualizado 26 de março de 2022 | 20h52

Mesmo após um bombardeio a cerca de 10 quilômetros do autódromo de Jeddah, na sexta-feira, os treinos classificatórios do GP da Arábia Saudita foram realizados normalmente neste sábado, como previsto, e terminaram com um resultado histórico. Sergio Pérez fez a volta mais rápida e se tornou o primeiro representante do México a conquistar a pole position na Fórmula 1.

O piloto mexicano completou sua última volta em 1min28s200, no instante final do Q3, e superou os ferraristas Charles Leclerc e Carlos Sainz. Após a dobradinha na corrida de estreia, no Bahrein, o monegasco vai largar em segundo no circuito de Jeddah, enquanto o espanhol fica com o terceiro lugar do grid. 

Já o atual campeão Max Verstappen ficou em quarto. Esteban Ocon, George Russell, Fernando Alonso, Valtteri Bottas, Pierre Gasly e Kevin Magnussen completam o top 10. Enquanto isso, Lewis Hamilton continua a viver um drama com sua Mercedes. Desta vez, ele não passou nem mesmo do Q1, o que não acontecia desde o GP de 2017 do Brasil.

"É incrível. Eu poderia fazer mais mil voltas aqui e não conseguiria melhorar o que fiz nesta. A verdade é que não esperávamos muito do treino classificatório, estávamos mais concentrados na corrida", disse o mexicano, citando o conhecido bom desempenho da Red Bull nas corridas, em detrimento dos treinos. "Não achávamos que estaríamos no mesmo nível da Ferrari. Agora queremos superá-los amanhã também."

Depois de o último treino livre terminar com Charles Leclerc, Max Verstappen e Sergio Pérez como donos dos três melhores tempo, os primeiros dez minutos do Q1 terminaram com liderança dupla da Haas, com com Kevin Magnussen em primeiro, com 1min30s425, seguido por Mick Schumacher. A partir dos oito minutos finais, contudo, a Ferrari e a Red Bull começaram a despontar.

Os favoritos baixaram bastante os tempos. Verstappen assumiu a liderança ao marcar 1min29s330, pouco antes de Carlos Sainz roubar o posto, quando completou a volta em 1min28s855. Nesse ponto, Leclerc era o terceiro, acima de George Russell, da Mercedes, e Pérez. Lewis Hamilton, por sua vez, brigava entre os últimos colocados, em 16º lugar.

No fim das contas, o britânico melhorou o tempo para subir apenas uma posição e ficou em 15º. Assim, ficou de fora do Q2 pela primeira vez desde de o GP do Brasil de 2017, quando largou do último lugar em Interlagos e  terminou a corrida em quarto. Albon, Hulkenberg, Latifi e Tsunoda também foram eliminados. Já oi top 3 ficou mesmo com Sainz, Verstappen e Leclerc.

Na disputa do Q2, os três seguiram brigando pela ponta, mas o que mais chamou a atenção foi um acidente sofrido por Mick Schumacher. A batida forte acionou a bandeira vermelha e forçou a entrada da ambulância na pista para retirar o piloto de 23 anos. Enquanto o carro, bastante danificado, era retirado da pista, a Haas informou que Mick estava consciente, a caminho do centro médico. 

Depois, a FIA confirmou que o piloto estava bem, mas foi levado ao hospital para exames, por  precaução. Após longa paralisação, que durou quase um hora, o Q2 foi retomado e acabou com as eliminações de Norris, Ricciardo, Zhou e Stroll, além de Schumacher. Os melhores tempo foram de Sainz, com 1min28s686, Leclerc e Pérez.

Quando chegou a hora da atrasada disputa do Q3, a Ferrari voltou a mostrar toda a sua força. Sainz foi o primeiro a cravar o melhor tempo, em uma volta de 1min28s402, 0s044 atrás do parceiro monegasco. Enquanto isso, Verstappen mostrava dificuldades para diminuir o tempo, enquanto Pérez continuava consistente. Fora da disputa entre Red Bull e Ferrari, Russell e Ocon eram os principais destaques, em quarto e quinto, respectivamente.

Nos minutos finais, Leclerc evoluiu mais que o companheiro e conseguiu tomar o primeiro lugar, mas Sérgio Perez foi ainda melhor no último instante e alcançou a pole histórica ao anotar 1m28s200, deixando os dois ferraristas para trás. Verstappen, por sua vez, conseguiu se recuperar e saiu do sétimo para o quarto lugar.

Confira o grid de largada para o GP da Arábia Saudita: 

1º - Sergio Pérez (MEX/Red Bull) - 1min28s200

2º - Charles Leclerc (MON/Ferrari) - 1min28s225

3º - Carlos Sainz Jr. (ESP/Ferrari) - 1min28s402

4º - Max Verstappen (HOL/Red Bull) - 1min28s461

5º - Esteban Ocon (FRA/Alpine) - 1min29s068

6º - George Russell (ING/Mercedes) - 1min29s104

7º - Fernando Alonso (ESP/Alpine) - 1min29s147

8º - Valtteri Bottas (FIN/Alfa Romeo) - 1min29s183

9º - Pierre Gasly (FRAN/AlphaTauri) - 1min29s254

10º - Kevin Magnussen (DIN/Haas) - 1min29s588

11º - Lando Norris (ING/McLaren) - 1min29s651

12º - Guanyu Zhou (CHI/Alfa Romeo) - 1min29s819

13º - Lance Stroll (CAN/Aston Martin) - 1min31s009

14º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes) - 1min30s343

15º - Daniel Ricciardo (AUS/McLaren) - 1min29s773*

16º - Alexander Albon (TAI/Williams) - 1min30s492

17º - Nico Hülkenberg (ALE/Aston Martin) - 1min30s453

18º - Nicholas Latifi (CAN/Williams) - 1min31s817

19º - Yuki Tsunoda (JAP/AlphaTauri) - sem tempo

* Punido com a perda de três posições no grid

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.