Perto da vitória, Rubinho mantém calma

Primeiro tempo na sexta-feira, o mais veloz neste sábado pela manhã, primeiro na pré-classificação e autor da pole position do GP Brasil, com um tempo espetacular, 1min10s646, neste sábado também, em Interlagos. Foi em todos os treinos, portanto, o melhor do fim de semana até o momento.Rubens Barrichello com sua Ferrari F2004 pode levar os 65 mil torcedores à loucura neste domingo e permitir a Interlagos revivier, à sua forma, claro, um pouco da festa de 1993, quando Ayrton Senna, com McLaren, ganhou pela última vez a corrida. "Depois de cruzar a linha de chegada e ver que estabeleci a pole, minhas pernas tremeram, a pressão em cima de mim era enorme", disse Rubinho, sem as demonstrações excessivas de emoção de outros tempos. "Acho que se eu tivesse errado aquela gente sairia da arquibancada e iria me pegar nos boxes", falou rindo o piloto.Foi seu segundo passo no sentido de realizar seu grande sonho profissional, tão importante quanto ser campeão do mundo, conforme sempre afirmou: ganhar a corrida de Interlagos. "A reação do público na volta de retorno aos boxes me emocionou, mas estou perfeitamente consciente de que o que vale mesmo é amanhã", falou. "A festa, por enquanto, acabou. Vou para casa tranqüilo, sereno, brincar com meu filho, dormir na minha cama, como um dia normal."Rubinho obteve sua quarta pole na temporada e a 13ª na carreira. Só perde para Michael Schumacher, dentre os pilotos em atividade, em número de poles, 63. Schumacher bateu de manhã, classificou-se com o carro reserva, em oitavo, mas largará em 18º por causa de usar um novo motor.Ao lado de Rubinho na primeira fila larga seu amigo Juan Pablo Montoya, da Williams. "Estou supercontente porque sabia que não conseguiria vencer Rubens hoje", disse o colombiano, possivelmente o piloto com maior número de torcedores em Interlagos depois de Rubinho.Em terceiro no grid está Kimi Raikkonen, da McLaren. "Conforme eu havia antecipado, nosso carro está muito bem nesse circuito. Pena a traseira escapar um pouco nas curvas 1 (S do Senna) e nove (Pinheirinho)." Segundo o vice-campeão do mundo, em razão da proximidade dos tempos, não fosse isso daria para ter ficado em primeiro. Felipe Massa, da Sauber, obteve sua melhor colocação no grid até este sábado, quarto, e Ricardo Zonta, Toyota, em 14º.O anúncio dos novos regulamentos técnico, sexta-feira, e esportivo, neste sábado, pela FIA, sugeria que tudo estava claro para a próxima temporada. A verdade, porém, é bem outra. Neste sábado os diretores de algumas equipes estavam reunidos e a exemplo da sexta-feira prometeram não aceitar as regras impostas por Max Mosley, presidente da FIA.Briga - Ron Dennis, da McLaren, falou: "Tenham a certeza de que nos próximos dias nós adotaremos uma posição importante contra toda essa situação." Eles querem impor restrições severas aos testes particulares porque a Ferrari recebe da Bridgestone para realizar milhares de quilômetros de testes enquanto McLaren, BAR, Williams e Renault, times da Michelin, devem bancar essas despesas bastante elevadas. Como a Ferrari não concorda com a limitação, nada pode ser feito. A briga esquentará muito nos próximos dias, mesmo com o fim do campeonato.O GP Brasil terá 71 voltas e a largada será às 14 horas. A previsão meteorológica indica 80% de chance de chuva durante a corrida. A rede Globo transmite a etapa de encerramento do campeonato ao vivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.