Petrobras muda a gasolina da Williams

Desde fevereiro do ano passado, diante das novas regras estabelecidas pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA), a Petrobras vem desenvolvendo uma nova gasolina para a equipe Williams. Na temporada de 2004 da Fórmula 1, as escuderias terão de usar o mesmo motor nos treinos e na corrida. Com isso, o combustível passa a ser ainda mais essencial para o bom desempenho do carro."Tivemos de encontrar uma gasolina que permitisse dar cada vez mais durabilidade ao motor", explica Rogério Goncalves, coordenador de projetos da Petrobras para a Fórmula 1. A empresa brasileira é fornecedora do time inglês desde 1998.Nesta atual temporada, que comeca no dia 7 de março, em Melbourne, e termina em 24 de outubro, com o GP Brasil, se o motor do carro apresentar algum defeito durante as sessões de treinos livres ou na tomada de tempo oficial, o piloto perderá dez posições no grid, pois fatalmente os mecânicos terão de fazer ajustes. Os cuidados se redobaram e, por isso, a gasolina ganhou muita importância."O produto desenvolvido pela Petrobras vai dar mais lubridicidade ao motor. Ou seja, foi criada uma gasolina com um potencial de lubrificação muito alta, para que as peças atingidas, como os pistões, cilindros e válvulas, tenham o menor desgaste possível", acrescenta Rogério Goncalves. "Além disso, houve a preocupação de se alcancar um nível de potência do motor ainda maior."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.