Piloto de MotoGP só poderá usar 5 motores na temporada

A Comissão de Grandes Prêmios da Federação Internacional de Motociclismo (FIM) aprovou, após a reunião que manteve em Mies, na Suíça, que cada piloto de MotoGP só poderá utilizar cinco motores ao longo da temporada. Esta é a medida que mais chama a atenção, mas também houve outras decisões importantes, como que os motores deverão ser selados antes do uso, seja em corridas ou em treinos e voltas de classificação.

EFE

29 de março de 2009 | 12h20

Um novo motor será considerado usado quando a moto sair do pit lane, e deverá ser selado ao fim de cada utilização. Só assim poderá ser reutilizado a qualquer momento.

A punição pelo uso de um motor não autorizado será de 10 pontos na classificação geral. Todas as medidas são de aplicação imediata, incluído o GP da República Tcheca.

Para as provas da temporada 2009-10, haverá oito dias de treinos e não serão permitidos os compostos de cerâmica em discos de freio e pastilhas de freio.

A Comissão proibiu também qualquer sistema de potência hidráulica à pressão, e o lubrificante do motor não poderá ser utilizado para nenhum outro fim.

Outro ponto importante é que o controle eletrônico de suspensão não será permitido, assim como o EGR (recirculação dos gases de escape). Além disso, os testes de inverno (hemisfério norte) estarão proibidos até 31 de janeiro.

Para a temporada de 2010 também foram aprovadas novas normas, entre as quais a que, em cada evento de MotoGP, só poderá ser usada uma máquina. Cada piloto poderá utilizar um máximo de 6 motores na temporada e haverá um novo calendário de corridas que será anunciado em breve.

Mais conteúdo sobre:
MotoGP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.