Piloto de testes da McLaren depõe na Justiça italiana

Segundo procurador, Pedro de la Rosa foi sincero sobre o escândalo de espionagem da Ferrari

Ansa

30 de outubro de 2007 | 18h26

"Tudo bem", disse o piloto espanhol Pedro De La Rosa, da McLaren-Mercedes, ao deixar os tribunais de Modena, na Itália, após prestar depoimento por quase três horas sobre o caso de espionagem contra a Ferrari na Fórmula 1."[De La Rosa] respondeu com sinceridade a todas as perguntas", comentou o procurador de Modena, Giuseppe Tibis, sobre a declaração do piloto de testes da equipe anglo-alemã no processo de espionagem já julgado pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA).Tibis indicou que não está previsto que outras pessoas sejam chamadas a depor em breve, descartando pelo momento a convocação do piloto britânico Lewis Hamilton. "Não haverá mais pessoas indagadas além das sete que figuram desde o início desta investigação", explicou o procurador, que no dia 9 de outubro interrogou o piloto espanhol Fernando Alonso no mesmo processo.O caso de espionagem já foi julgado pelo Comitê Executivo da FIA, que absolveu de responsabilidades os pilotos, mas condenou a escuderia McLaren à perda dos pontos obtidos pelo Campeonato dos Construtores, conquistado pela Ferrari, e a uma multa de US$ 100 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Pedro de la RosaMcLaren

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.