Divulgação
Divulgação

Piloto português vence corrida da GP2 na Bélgica

Alvaro Parente recebe a bandeirada atrás do safety car; Di Grassi vai ao pódio e Nunes é quinto

AE, Agencia Estado

29 de agosto de 2009 | 14h15

Num corrida cheia de acidentes, o piloto português Alvaro Parente venceu neste sábado a primeira prova da etapa da Bélgica da GP2. Ele, inclusive, cruzou a linha de chegada sob bandeira amarela, por causa de uma das várias batidas que aconteceram na pista de Spa-Francorchamps.

A corrida na Bélgica também foi boa para os pilotos brasileiros. Lucas di Grassi conseguiu terminar em terceiro lugar, enquanto Diego Nunes foi o quinto colocado. A exceção foi Alberto Valério, que bateu seu carro e não completou a prova.

Com os resultados deste sábado, Lucas di Grassi aparece agora em terceiro lugar no campeonato, com 46 pontos. O líder ainda é o alemão Nico Hulkenberg, que chegou aos 83 pontos após terminar a primeira corrida da Bélgica na segunda posição. E o vice-líder é o russo Vitaly Petrov, que não completou a prova, e soma 55 pontos.

Neste domingo, acontece a segunda corrida na Bélgica da GP2, categoria que ainda terá mais duas etapas na temporada: em Monza, na Itália, e em Portimão, em Portugal.

ACIDENTES

O último acidente da corrida foi o de Stefano Coletti, que sai reto na segunda perna da Eau Rouge e bateu na proteção de pneus. Apesar da violência do choque, o piloto saiu sozinho do carro.

No entanto, um outro acidente não teve consequências tão brandas. Vasco Rossi, de 57 anos, mecânico da equipe Trident, foi hospitalizado e está em coma induzido após ser atingido na cabeça por uma pistola pneumática, durante parada de box do português Ricardo Teixeira. Segundo as primeiras informações, ele deverá ficar sedado por pelo menos três dias.

(Atualizado às 15h40 para acréscimo de informações)

Tudo o que sabemos sobre:
GP2Spa-Francorchamps

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.