Pilotos e equipes apoiam adiamento de treino da F1

A decisão tomada pelos organizadores do GP da Austrália de adiar o treino de classificação da prova que abre a temporada 2013 da Fórmula 1 foi aprovada pelos pilotos e dirigentes. A atividade foi adiada após a realização da sua primeira parte por causa da forte chuva e da falta de luz natural. Assim, será retomada às 21 horas (de Brasília) deste sábado.

AE-AP, Agência Estado

16 de março de 2013 | 10h09

"Você pode dizer, ''há 30 anos eles provavelmente já correram nessas condições'', mas a segurança percorreu um longo caminho desde então, em termos dos circuitos e da maneira que vemos a segurança, e eu estou muito feliz que eu estou competindo neste momento, porque é correto não correr hoje", disse o inglês Jenson Buton, da McLaren. "Os fãs vão ter um show melhor do que se tivéssemos tentado correr nestas condições, porque estaríamos todos amontoados na curva 1".

O Q1 ainda foi realizado no circuito de Melbourne, após um atraso de 30 minutos, mas depois se decidiu pelo adiamento do restante do treino de classificação. Chefe da Red Bull, Christian Horner aprovou a decisão por causa da segurança dos pilotos. "Temos muito tempo amanhã para voltar para realizar a classificação às 11 horas (no horário local) antes da corrida às 5 (da tarde), por isso a decisão foi 100% correta", afirmou.

Martin Whitmarsh, chefe da McLaren, disse ser muito pedir aos pilotos para competirem em condições tão precárias. "Quando há 20 carros estranhos lá fora, a maior parte do tempo esses caras não enxergam praticamente nada", disse. "É uma experiência extraordinária, esses caras podem falar, mas eu só posso começar a imaginar o quão assustador e como é difícil pilotar nestas condições. Todos esses caras são extraordinariamente corajosos, mas estes carros que temos hoje em dia, infelizmente, não podem sair nesse tipo de condição", concluiu.

Button disse que muitos fãs podem ter ido para casa decepcionados com a decisão, mas um treino em melhores condições vai resultar em um espetáculo mais emocionante. "É triste, porque para nós não há muita energia e adrenalina em nós quando entramos no treino de classificação e nós temos que passar por isso novamente e de novo e de novo, e de repente tudo acabou", disse. "Mas isso é mínimo em comparação com os fãs que se sentam na arquibancada, se molham, o dia todo e não assistem o show esperado. Mas isso é o esporte", acrescentou. "Espero que os fãs entendam isso e temos certeza de que faremos um grande trabalho pela manhã".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.