André Lessa/AE
André Lessa/AE

Pilotos fazem balanço positivo da corrida no Anhembi

Power, Castroneves e Kanaan elogiam traçado do circuito e esperam por melhorias para 2011

Tercio David, estadao.com.br

15 de março de 2010 | 12h03

Apesar de todo o tumultos provocado pela chuva, no domingo, e pela péssima condição do asfalto, especialmente no sábado, antes da reforma do piso na reta do sambódromo, o circuito de rua do Anhembi foi aprovado pelos pilotos da Fórmula Indy. Um dos mais empolgados com a pista era o australiano Will Power, da Penske, o vencedor da corrida.

Veja também:

linkCORRIDA - Leia como foi a vitória de Will Power na etapa de São Paulo da F-Indy

lista F-INDY - Todas as notícias da categoria

blog BATE-PRONTO - Bastidores da prova

"Adorei o circuito. É desafiador, com longas retas e curvas fechadas. O asfalto ondulado e a condição do tempo, hora com chuva, hora com sol, também ajudaram a tornar a corrida bastante interessante, e difícil do aspecto físico", disse Power. "Pena que o piso estranho atrapalhou um pouco os treinos, mas isto acontece em outras pistas de rua."

Outro que também se mostrou um entusiasta da pista do Anhembi foi Helio Castroneves. "Na avaliação de tudo, pesando as coisas, é nota 11 para a corrida... não 9, afinal nenhum brasileiro venceu", brincou o piloto da Penske. "Pelo menos teve um brasileiro no pódio", continuou, se referindo ao terceiro lugar de Vitor Meira.

"É fantástico andar a 300 km/h na Marginal Tietê. Poxa, é o sonho de todo o paulistano", brincou. "O circuito é legal, com vários pontos de ultrapassagem", disse. "Os americanos também adoraram a corrida, pode apostar. Todos me disseram que gostaram", continuou o empolgado brasileiro. "Acho que todo mundo gostou. É claro que todo mundo gostou, principalmente o público, mas acho que isto é uma coisa que vocês [jornalistas] tem de ver."

Mas Castroneves não guardou apenas elogios para pista. "Tem vários detalhes que precisam ser corrigidos. Os pilotos precisam se reunir para conversar. Seria bom colocar blocos para formar a zebra, como é feito em outros circuitos, porque o usado aqui é de plástico e evitaria alguns acidentes."

Tony Kanaan, da Andretti, também lembrou dos problemas - a pista passou por uma microfresagem na madrugada de sábado para domingo -, mas elogiou o empenho dos construtores. "Estão todos de parabéns por ter conseguido construir uma pista em 4 meses. Nenhum lugar do mundo conseguido fazer o que foi feito aqui. De repente, faltou apenas assessoria de algum piloto."

Ainda na tentativa de amenizar as criticas, Kanaan fez comparações com outras corridas e lembrou da pista oval do Texas, que teve a prova de 2001 foi cancelada depois que os pilotos se queixaram de tonturas, enjoos e dores de cabeça nos treinos. "A pista era tão rápida que não conseguíamos correr sem ficar tonto, foi a pior condição que já pegamos. Em Edmonton, que é uma corrida no aeroporto, também temos problemas com as ondulações e a aderência."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.