Pilotos prevêem corrida com muitas rodadas no Bahrein

Principais competidores da Fórmula 1 destacam dificuldades do traçado do Circuito de Sakhir

Livio Oricchio, O Estado de S. Paulo

03 de abril de 2008 | 17h24

As características dos 5.412 metros do Circuito de Sakhir, com várias curvas de baixa velocidade, a areia que costuma invadir o asfalto, o vento forte imprevisível e a ausência do controle de tração, agora nos carros, formam a receita ideal para muitos pilotos cometerem erros no GP de Bahrein, já a partir desta sexta-feira, quando começam os treinos livres. A previsão é da maioria dos próprios pilotos. Veja também: Blog do Livio: A Fórmula 1 em peso deseja outro presidente Equipes da F-1 criticam presidente da FIA por escândalo sexual Princípe do Bahrein proíbe Mosley de ir ao GP em seu país "Aqui será bem pior que na Austrália e na Malásia", afirmou Fernando Alonso, campeão do mundo de 2005 e 2006, da Renault. Rubens Barrichello, da Honda, também previu: "Vai ter muito rodada aqui nesse fim de semana". E se Felipe Massa necessita de um resultado convincente na terceira etapa do campeonato depois de errar nas duas primeiras, o aumento das chances de sair da pista certamente não o favorecem. Ontem a imprensa o cercou para saber como passou depois de perder o controle da Ferrari na prova da Malásia e abandonar. "Não comecei hoje nesse negócio, dois dias ruins não vão mudar a minha maneira de pensar, trabalhar. Restam 16 provas, pode acontecer de tudo", afirmou Massa. "Quem diria que o Kimi Raikkonen seria campeão ano passado." Massa venceu a edição do GP de Bahrein do ano passado, bem como as duas etapas seguintes, Espanha e Turquia. Tem ainda a seu favor, no traçado bareinita, o fato de a Ferrari ter sido a única, junto da Toyota, a treinar sob o calor do deserto em fevereiro. "Ajuda, sim, mas apenas no primeiro dia, não sei se nos demais também", avaliou o piloto que não tem nenhum ponto na classificação diante de 14 do líder, Lewis Hamilton, da McLaren, e 11 de Raikkonen e Nick Heidfeld, da BMW. A experiência adquirida nas suas duas primeiras corridas na Fórmula 1 fez de Nelsinho Piquet um piloto mais sereno. "A receita é seguir nesse caminho progressivo. Tenho de me classificar, agora, mais perto do Fernando, sabia que no começo seria difícil, tenho potencial para isso." Nelsinho já planeja melhorar sua performance em relação ao companheiro de Renault, Fernando Alonso e não apenas participar da competição. Todos os pilotos foram orientados por suas equipes para não se pronunciarem sobre o escândalo do presidente da FIA, Max Mosley. Apenas Rubinho comentou que, na sua opinião, ele deixará a direção do automobilismo.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.