Pirelli confirma pneus com menor desgaste no GP da Espanha

Fornecedora irá levar composto mais duro, que possibilita novas opções estratégicas às equipes

AE, Agência Estado

17 de maio de 2011 | 10h55

A Pirelli, fornecedora oficial de pneus da Fórmula 1, anunciou nesta terça-feira que irá levar para a Espanha um tipo de composto mais duro e que promete sofrer menor desgaste durante a próxima etapa do Mundial, marcada para este domingo, em Barcelona. O uso do novo tipo de pneus foi decidido após os testes realizados na Turquia, país que recebeu a prova passada da categoria no último dia 8.

"Nós dissemos desde o início do ano que iríamos apresentar evoluções dos pneus, se nós acreditássemos que eles iriam beneficiar o esporte. E Barcelona marca a primeira ocasião em que nós faremos isso. O novo pneu - que testamos extensivamente - reduz a degradação e melhora a durabilidade", afirmou Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli.

Em seguida, o dirigente da fornecedora oficial da F-1 acrescentou que o novo composto deverá dar mais opções estratégicas às escuderias. "Não é um grande passo com relação ao pneu duro original, mas significa que há uma distância maior entre o macio e o duro, o que vai tornar as coisas ainda mais interessantes no dia da corrida e dar às equipes a oportunidade de usar estratégias mais criativas", aposta.

Apesar disso, Hembery acredita que cada equipe deverá fazer, em média, três paradas nos boxes para troca de pneus. "Leva muito mais tempo para entrar e sair dos pits em Barcelona do que na Turquia, e esse é outro fator que terá uma influência decisiva sobre a estratégia", opinou.

O Circuito da Catalunha, que recebe os primeiros treinos para o GP da Espanha na sexta-feira, conta com 16 curvas e, pelo seu traçado, exige principalmente os pneus dianteiros esquerdos, devido ao grande número de curvas para o lado direito.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1GP da EspanhapneusPirelli

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.