Pizzonia ganha concorrente na Williams

O jovem piloto finlandês Nico Rosberg, filho do campeão mundial Keke Rosberg (1982), pode estrear na Fórmula 1 nas duas etapas finais da temporada 2005, os GPs do Japão e da China, nos dias 9 e 16 de outubro, pela equipe Williams, por onde seu pai conquistou o título. Para a corrida no Brasil, dia 25, em Interlagos, o substituto do alemão Nick Heidfeld (contundido) deve ser mesmo o brasileiro Antonio Pizzonia.Nesta quarta-feira, a Hewlett-Packard (HP), uma das principais patrocinadoras da Williams, confirmou que irá deixar a Fórmula 1 ao final da temporada. Com isso, além da já anunciada saída da BMW, também patrocinadora e fornecedora de motor, a equipe de Frank Williams fica em situação financeira complicada.A HP investia pelo menos US$ 20 milhões anuais na Williams, enquanto que a BMW, que entrou até no nome da equipe, injetava US$ 40 milhões em patrocínio e outros US$ 80 milhões no projeto, construção e desenvolvimento de seus motores de Fórmula 1. Além de perder essa importante soma em dinheiro, US$ 60 milhões dos patrocinadores, a Williams terá de pagar para a Cosworth, pelo uso do seu motor em 2006, cerca de US$ 25 milhões. É por isso que o piloto inglês Jenson Button tem boas chances de ficar onde está, na BAR-Honda, desde que Frank Williams seja compensado com o que ele mais precisa: milhões de dólares para manter sua equipe num nível ao menos um pouco compatível com o seu passado de conquistas. A mudança de fornecedor de pneus em 2006, da Michelin para a Bridgestone, atende exatamente a essa questão: os japoneses irão pagar para trabalhar com a melhor organização dos anos 90 na Fórmula 1. Deverá existir uma vaga de piloto na Williams em 2006, com a saída de Nick Heidfeld para a BMW e a provável permanência de Jenson Button na BAR-Honda - a outra continua nas mãos do australiano Mark Webber. Antonio Pizzonia é candidato a ficar com essa vaga, mas há também o líder da categoria GP2, criada este ano para substituir a Fórmula 3000, Nico Rosberg. Bernie Ecclestone, promotor do Mundial de Fórmula 1, é um dos que pedem uma chance ao filho de Keke Rosberg.Não foi por acaso que Nico Rosberg testou o carro da Williams nesta quarta-feira, em Silverstone, na Inglaterra. Ele completou 60 voltas durante o treino livre. O mais veloz do dia foi o espanhol Fernando Alonso, da Renault, que fez 1m17s615 (111 voltas). Já o jovem piloto finlandês marcou 1m18s614 e ficou em 6º lugar. Pizzonia também esteve na pista: 7ª posição, com 1m18s693 (43 voltas).Nico já é piloto de testes da Williams, após vencer neste ano a concorrência com o brasileiro Nelsinho Piquet, outro filho de campeão mundial. Mas, mesmo que fique com a vaga para a temporada de 2006, ele está sabendo desde já que a condição financeira e técnica da equipe não lembrará nem de longe os seus melhores dias na Fórmula 1.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.