Darron Cummings/AP
Darron Cummings/AP

Pole, Hamilton diz ser 'improvável' faturar título nos Estados Unidos

Britânico pode faturar taça da Fórmula 1 antecipadamente neste domingo

Estadão Conteúdo

21 Outubro 2017 | 21h42

O britânico Lewis Hamilton adotou um discurso cauteloso após conquistar a pole position do GP dos Estados Unidos, a 17ª etapas das 20 etapas do Mundial de Fórmula 1. O piloto da Mercedes avaliou que são remotas as chances de faturar o seu quarto título do campeonato na prova deste domingo no Circuito das Américas, em Austin.

+ TABELA - Confira como está a classificação na Fórmula 1

"Eu acho que é altamente improvável que isso aconteça. Sebastian (Vettel) fez um excelente trabalho hoje (sábado) para colocar a Ferrari de volta ao topo. Eu acho que tudo o que posso fazer é o melhor que posso e vamos trabalhar o máximo possível para conquistar o máximo de pontos", disse.

Hamilton assegurou a pole com a marca de 1min33s108, mas terá a companhia do rival Vettel na primeira fila, pois o alemão da Ferrari garantiu a segunda posição no grid com o tempo de 1min33s347. O piloto da Mercedes lidera o campeonato com 306, com 59 de vantagem para Vettel.

Assim, para ser campeão já neste domingo, Hamilton precisará vencer o GP dos Estados Unidos e ver Vettel não ir além do sexto lugar. Para o britânico, isso só vai acontecer se o piloto da Ferrari errar, o que ele acha improvável. "Sebastian está ali, a menos que ele comete algum erro bobo, o que é improvável, pois ele é um tetracampeão mundial. Então vamos ver essa batalha continuar nas próximas corridas", afirmou.

Dominante até agora no fim de semana do GP dos Estados Unidos, Hamilton exaltou o Circuito das Américas e explicou as dificuldades que encarou na sessão de classificação deste sábado. "A pista estava muito difícil, com o vento batendo de frente na curva 1 e depois por trás. Mas amo essa pista, é fantástica para pilotar, ainda mais quando você tem um carro desses", elogiou.

Mais conteúdo sobre:
Lewis HamiltonFórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.