François Flamand/DPPI
François Flamand/DPPI

Polonês conquista título inédito dos quadriciclos no Rali Dacar

Rafal Sonik bate hegemonia sul-americana e vence 37.ª edição da prova com enorme vantagem sobre o vice Jeremias Gonzalez Ferioli

VIPCOMM/ESTADÃO

17 de janeiro de 2015 | 13h10

Depois de cinco títulos consecutivos na categoria quadriciclos, os sul-americanos tiveram enfim sua hegemonia quebrada no Rali Dacar. O responsável por essa façanha se chama Rafal Sonik, que conquistou o inédito troféu da 37.ª edição do maior rali do mundo, a sétima realizada na América do Sul. Com uma pilotagem consistente ao longo de 14 dias, em mais de nove mil quilômetros rodados pela Argentina, Chile e Bolívia, o polonês chegou neste sábado a Buenos Aires, palco da 13.ª e última etapa, com a primeira posição garantida e uma vantagem confortável na classificação geral.

Antes da especial, que foi encurtada para 101 km, em razão do mau tempo, Sonik possuía uma superioridade de quase três horas sobre o vice-líder no acumulado Jeremias Gonzalez Ferioli (ARG). Com o título praticamente garantido, ele tinha que apenas levar seu veículo para o término do trecho cronometrado e comemorar. Foi isso que ele fez, finalizou o dia em oitavo e se tornou o sétimo campeão da categoria. Ferioli, em segundo, e o surpreendente Walter Nosiglia, da Bolívia, em terceiro, completam o pódio da edição 2015.

SORTE DE CAMPEÃO

Para alcançar o inédito troféu, Rafal Sonik precisava neste ano desbancar o atual campeão Ignacio Casale (CHL). Os dois competidores protagonizavam um dos melhores embates do Dacar, com troca de liderança a cada cronometrado, quando na décima etapa o chileno teve um problema mecânico e abandonou o rali. No mesmo dia, o polonês viu suas chances de ser campeão aumentarem depois de outro rival, o uruguaio Sergio Lafuente, então terceiro colocado, sofrer um acidente e se retirar da competição.

SUL-AFRICANO VENCE ÚLTIMA ETAPA

Com o título da categoria praticamente definido, cabia aos demais competidores tentarem a vitória na última etapa. E o estreante Willem Saaijman, da África do Sul, conseguiu o feito, o seu primeiro na competição, com o tempo total de 1h05min05. A vantagem foi bastante apertada para o segundo colocado do dia, o francês Christophe Declerck, seis segundos atrás, e para o terceiro, o argentino Daniel Domaszewski, a nove segundos. 

BRASILEIRO CUMPRE META

Marinheiro de primeira viagem no Rali Dacar, André Suguita tinha um só objetivo desde a largada: terminar a prova, fato inédito para um piloto brasileiro nos quadriciclos. A jornada do paulista pela América do Sul incluiu inúmeras dificuldades, porém ele conseguiu o feito e ainda concluiu no Top 10.

RESULTADOS 13.ª ETAPA - QUADRICICLOS:

1.º Willem Saaijman (Yamaha) - 1h05min05

2.º Christophe Declerck (Yamaha) - +6s

3.º Daniel Domaszewski (Honda) - +9s

4.º Juan Carlos Carignani (Yamaha) - +39s

5.º Nelson Sanabria Galeano (Yamaha) - +3min42

13.º André Suguita (Can-Am) - +13min44

RESULTADOS APÓS 13 ETAPAS - QUADRICICLOS:

1.º Rafal Sonik (Yamaha) - 57h18min39

2.º Jeremias Gonzalez Ferioli (Yamaha) - +2h54min50

3.º Walter Nosiglia (Honda) - +3h42min56

4.º Nelson Sanabria Galeano (Yamaha) - +4h08min57

5.º Christophe Declerck (Yamaha) - +5h48min40

10.º André Suguita (Can-Am) - +22h21min14

Tudo o que sabemos sobre:
velocidadeRali Dacarquadriciclos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.