Porsche vê fim da hegemonia nas Mil Milhas

O trio de pilotos italianos formado por Stefano Zonca, Ângelo Lancelotti e Fabrizio Gollin, com um Dodge Viper GTS-R, venceu neste domingo a 32ª edição das Mil Milhas, quebrando assim a série de três vitórias consecutivas da Porsche na prova. A marca alemã ficou com a segunda colocação. Nonô Figueiredo, Maurizio Sala, Ricardo Etchenique e Paulo Bonifácio, com Porsche GT3, completou 367 voltas, 8 a menos que os ganhadores.Os três principais favoritos para vencer a corrida abandonaram, deixando livre o caminho para a condução regular da equipe italiana. O time de Ingo Hoffmann, com Porsche GT3, iniciou a disputa em primeiro, algumas voltas depois da largada, com o asfalto ainda bem úmido. Depois foi a vez do espetacular protótipo construído por Zeca Giaffone para a escuderia de seu filho, Felipe Giaffone, pole position. A seguir, um dos melhores carros das Mil Milhas, o Audi TT-R da família Negrão, dominou a competição. O Viper de Zonca acompanhava a distância a bela disputa dos três maiores favoritos.Experientes em corridas longas, o trio de Zonca aproveitou-se bem das quebras dos líderes, não cometeu erros, e cruzou a linha de chegada na frente, com méritos. O pódio foi completado por outra formação veterana das pistas, a de Dieter Quester, Phillipp Peter, Toto Wolf e Klaus Engelhorn, todos austríacos, com BMW M3, a 15 voltas dos vencedores.

Agencia Estado,

25 de janeiro de 2004 | 17h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.