Portugal espera atrair F-1 para circuito do Algarve

Governo português investe cerca de 200 milhões de euros para tentar trazer a competição de volta ao país

CARLOS PONTES, REUTERS

11 de fevereiro de 2008 | 14h38

Portugal espera que o novo circuito de 200 milhões de euros (mais de R$ 500 milhões) que está sendo construído na região turística do Algarve possa trazer a Fórmula 1 de volta ao país.O diretor do circuito, Paulo Pinheiro, disse nesta segunda-feira que uma equipe de F-1 já tinha marcado testes para janeiro do ano que vem no traçado de 4,7 quilômetros e que havia negociações em progresso. O Circuito Internacional do Algarve recebeu certificado da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e deve estar pronto até o fim de outubro. Está prevista a etapa final do campeonato mundial de Superbike em novembro. "O governo vai fazer o melhor para Portugal se tornar parte dos principais campeonatos do mundo", disse o ministro interino dos Esportes, Laurentino Dias. Portugal deixou o calendário da Fórmula 1 em 1997 devido a problemas de segurança no circuito de Estoril, onde o falecido tricampeão Ayrton Senna venceu pela primeira vez com chuva pesada, em 1985. Também houve provas em Porto e em Monsanto, perto de Lisboa, entre 1958 e 1960. O novo complexo cobre 300 hectares de terreno entre a cidade portuária de Portimão e as colinas de Monchique, com capacidade para até 100 mil espectadores, incluindo uma torre VIP com 15 mil assentos. Também há um campo de futebol, um hotel de luxo e apartamentos residenciais.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.