Mauro Pimentel/AFP
Mauro Pimentel/AFP

Prefeitura de São Paulo aguarda até novembro definição sobre GP do Brasil

Em busca de renovar acordo com a Fórmula 1, cidade enfrenta concorrência do Rio de Janeiro

Ciro Campos, Felipe Rosa Mendes, O Estado de S. Paulo

02 de agosto de 2019 | 18h09

A prefeitura de São Paulo tem o mês de novembro como data limite para a definição se o autódromo de Interlagos continuará ou não como sede do GP do Brasil de Fórmula 1. Com acordo previsto para a cidade receber a prova até 2020, a meta das autoridades locais é conseguir renovar a parceria por mais dez anos e vencer a concorrência com o Rio de Janeiro. A capital fluminense pretende sediar a prova em um autódromo a ser construído no bairro de Deodoro.

Em nota enviada ao Estado, a prefeitura de São paulo afirmou que tem mantido conversas com a Fórmula 1 para renovar contrato. "O prazo dado para término das negociações é o final de novembro deste ano", informa o texto. A data limite, segundo a prefeitura, foi apresentada pelo promotor do GP do Brasil, Tamas Rohonyi, responsável por organizar a prova em Interlagos.

O mês de novembro coincide com um outro prazo. Os responsáveis pelo projeto do autódromo carioca assinaram semanas atrás com a Fórmula 1 a exclusividade nas negociações pelo GP do Brasil. Essa condição vai justamente até novembro. De acordo dos documentos de cumpromisso selado entre as partes, pelos próximos meses o comando da categoria terá conversas sobre o futuro do GP apenas com a candidatura carioca, conforme noticiou o Estado nesta sexta-feira.

Segundo o promotor do GP do Brasil de F-1, São Paulo está perto de ser mantida como sede da corrida após uma reunião em junho entre o chefe da categoria, Chase Carey, e o governador de São Paulo, João Doria. Esse encontro teria sido importante para se avançar rumo a um desfecho. "Ficou acordado entre o senhor Chase Carey e o governador de São Paulo, João Doria, no dia 25 de junho, no Palácio do Governo, a extensão do contrato até 2030 e as negociações estão em curso", disse Rohoyni ao Estado.  

Em entrevista ao Estado, no entanto, o diretor executivo da holding Rio Motorsports, JR Pereira, afirmou que o Rio de Janeiro é quem está mais próximo de ser confirmado como sede do GP do Brasil. "Nós já acertamos valores (com a Fórmula 1). Não tem negociação. Eu estou acertando os detalhes do contrato. Quanto tenho de pagar de taxa, quais as minhas propriedades, quais as contrapartidas... O martelo já está batido", disse.

Mesmo com o impasse, o GP do Brasil de Fórmula 1 está garantido em Interlagos neste ano e no próximo. A corrida desta temporada será realizada em 17 de novembro. Do calendário atual da categoria, três provas ainda não estão confirmadas para o campeonato de 2020: Espanha, Alemanha e México. São Paulo tem acordo firmado até 2020.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.