Divulgação/Superbike
Divulgação/Superbike

Prefeitura suspende corridas de moto em Interlagos por dois meses

Após outro acidente em provas de Superbike apenas neste ano, poder público exige condições de segurança para as categorias

Redação, O Estado de S. Paulo

29 de maio de 2019 | 13h46

A Prefeitura de São Paulo determinou nesta quarta-feira a suspensão de corridas de moto no autódromo de Interlagos pelos próximos dois meses. O veto vem como resposta à sequência de acidentes fatais em provas de motociclismo, a última delas registrada no último domingo. Durante prova do Superbike Brasil, Danilo Berto foi o quarto piloto a morrer nos últimos três anos durante provas da categoria.

Em nota oficial, a Prefeitura explicou que a suspensão será mantida até os responsáveis pelas provas comprovarem que as corridas têm condições mínimas de segurança. "A suspensão será mantida até que os promotores e organizadores dos eventos apresentem novas garantias de segurança, como vistorias em equipamentos e motos, certificação dos pilotos, medidas de resgates e relatório de bafômetro, entre outras exigências", diz o texto.

Berto morreu no domingo após batida na curva do Pinheirinho, onde perdeu o controle, bateu na barreira de pneus e sofreu traumas nas pernas e no tórax. Um mês antes, também no Superbike, Mauricio Pauludete sofreu uma queda pouco depois de receber a bandeira final enquanto contornava o S do Senna.

Nos dias seguintes à morte de Pauludete, a organização do autódromo havia exigido documentos ao SuperBike como obrigações prévias de segurança no padrão Federação Internacional de Motociclismo (FIM) e um Atestado de Responsabilidade Técnica (ART), assinado por um engenheiro responsável, com avaliação da segurança da pista para cada prova.

Nesta quarta-feira, o Ministério Público de São Paulo, anunciou que vai acompanhar as investigações sobre a morte de Danilo Berto. O promotor de Justiça Renato Davanso foi o designado para participar da apuração das causas do acidente fatal.

A organização do Superbike se pronunciou em nota oficial, ao comunicar que a próxima etapa da competição, que seria em Interlagos, em 16 de junho, está cancelada. "A organização entende ser importante uma profunda reflexão e análise do que mais pode ser feito para aumentar a segurança para os pilotos, além das inúmeras ações que já vinham sendo implementadas nos últimos anos. Tal análise pretende trazer todos os envolvidos na realização das provas, e, a partir daí, apresentar uma agenda propositiva incluindo todas as oportunidades de melhoria", diz o texto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.