Presidente da Ferrari critica as regras

O presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, afirmou nesta quinta-feira que não se surpreendeu com o ocorrido domingo, em Indianápolis, quando apenas seis carros, os que competiam com pneus Bridgestone, disputaram o GP dos Estados Unidos de Fórmula 1. As sete equipes que usam Michelin não correram, atendendo o fabricante francês que não deu garantias de segurança dos seus pneus."O campeonato está sendo decidido apenas nos pneus, na minha opinião. Já dava para imaginar que os riscos de inovações desenvolvidas pelas empresas a cada prova iriam surgir mais cedo ou mais tarde", afirmou o presidente da Ferrari, uma das equipes que disputou o GP dos Estados Unidos.Como vários outros dirigentes da Fórmula 1, Montezemolo condenou o regulamento imposto este ano pela FIA, que proíbe a substituição de pneus durante as corridas. "É contra o princípio básico da competição. Quando deparamos com alguma dificuldade, o resultado é o que todos viram em Indianápolis", explicou.Na próxima quarta-feira, o Conselho Mundial da FIA, composto por integrantes de várias nacionalidades, ouvirá os representantes das 7 equipes que não participaram na prova nos Estados Unidos, bem como a direção da Michelin. "Não há dúvida de que o Conselho tomará uma decisão justa e equilibrada", afirmou nesta quinta-feira Max Mosley, presidente da FIA, quase que já anunciando que haverá alguma punição. O mais provável é que o fabricante francês seja multado, porque, se a entidade suspender as equipes, não haverá como disputar as corridas seguintes.Treinos - Em preparação para as duas próximas etapas do campeonato, dia 3 na França e dia 10 na Grã-Bretanha, a Ferrari realizou testes nesta quinta-feira em Barcelona, com Michael Schumacher e Luca Badoer. O piloto alemão completou 67 voltas, equivalente a um GP, e fez 1m16s046 na melhor delas. Em Jerez de la Frontera, também na Espanha, trabalharam McLaren, BAR, Renault, Toyota, Red Bull, Williams e Sauber, todos times da Michelin. O colombiano Juan Pablo Montoya, da McLaren, ficou em primeiro lugar, com tempo de 1m17s405 (56 voltas). Os testes prosseguem nesta sexta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.