Presidente da Ferrari repreende Alonso após críticas

O presidente da Ferrari, Luca Di Montezemolo, repreendeu Fernando Alonso nesta segunda-feira em razão das críticas públicas proferidas pelo piloto após a corrida de domingo, na Hungria. Em Budapeste, o espanhol reclamou do trabalho do corpo técnico da equipe, que não teria contribuído para a evolução do carro no decorrer desta temporada. "As novas peças não melhoram o carro em nada", afirmara.

AE, Agência Estado

29 de julho de 2013 | 16h09

As declarações incomodaram Montezemolo, que revelou um "puxão de orelha" no piloto, segundo palavras da própria Ferrari. O presidente repreendeu o espanhol ao parabenizá-lo pelo aniversário, por telefone. Alonso completa 32 anos nesta segunda. "Todos os grandes campeões que pilotaram pela Ferrari sempre foram instados a colocar os interesses da equipe acima dos seus próprios", disse o dirigente.

"Este é o momento de ficar calmo, evitar polêmicas e mostrar humildade e determinação em dar sua própria contribuição, ficando ao lado do time e dos seus colegas tanto dentro quanto fora da pista", ressaltou Montezemolo. Na mesma nota em que divulgou as declarações do presidente, a assessoria registrou que "este não é definitivamente o momento para começar a discutir sobre quem são os responsáveis por esta ou aquela decisão".

No domingo, após terminar a corrida em 5º e perder a vice-liderança do campeonato, Alonso não poupou críticas à área técnica da Ferrari. "Quando tivemos carro, eu e Felipe terminamos no pódio, como em Barcelona", declarou. "O pessoal de pista, engenheiros, mecânicos, pilotos realizam um trabalho aceitável. Já aqueles que concebem as peças...", alfinetou.

As declarações de Alonso marcam uma nova postura do espanhol, acostumado a defender as decisões da equipe. Pela primeira vez desde que chegou à Ferrari, em 2010, o piloto fez críticas públicas à escuderia e gerou atrito com a direção. No mesmo fim de semana das críticas, Alonso foi citado por uma revista estrangeira como candidato a assumir a vaga de Mark Webber na Red Bull a partir de 2014. O piloto se recusou a responder perguntas sobre o assunto, no domingo.

Antes de rebater as críticas de Alonso, Montezemolo confirmou nesta segunda a contratação do inglês James Allison para reforçar a área técnica da Ferrari. O novo diretor técnico, ex-Lotus, vai assumir a função no início de setembro. Pat Fry, então titular do cargo, será alçado à nova posição de diretor de engenharia.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FerrariMontezemoloAlonso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.