Presidente da FIA ficará 'de olho' nos carros da McLaren

Max Mosley diz que entidade analisará a McLaren, em 2008, para evitar novo caso de espionagem

EFE

31 de outubro de 2007 | 17h42

O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Max Mosley, afirmou, nesta quarta-feira, que a entidade analisará de forma atenta os carros que a equipe McLaren usar em 2008 na busca de "idéias" que sejam propriedade intelectual da escuderia italiana Ferrari.   A McLaren foi desclassificada do mundial de construtores da Fórmula 1 em 2007 e acabou multada em US$ 100 milhões pelo caso de suposta espionagem da Ferrari. Esta equipe passará por uma análise profunda dos carros para 2008 cujo resultado será anunciado em dezembro e que poderia causar novas punições na próxima temporada.   Em entrevista à BBC, Max Mosley disse que a entidade buscará possíveis "idéias" aplicadas nos carros da McLaren, pois "com o atual nível de tecnologia é difícil encontrar algo que tenha sido desenhado previamente pela Ferrari".   "Caso se apresente uma idéia ao chefe de engenharia (da McLaren), ele pode fabricar um componente baseado nesta idéia e que pode não ter relação alguma com uma peça usada nos outros carros (da Ferrari). Por isto, o que buscaremos são idéias", declarou Mosley.   "Encontrar algo não será fácil. Para isto contaremos com especialistas de fora (da F-1) para garantir que os carros da McLaren não tenham elemento algum que seja propriedade intelectual da Ferrari. Caso encontremos algo, então teremos que considerar a opção de adotar alguma ação", encerrou.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1McLarenFIAFerrariMax Mosley

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.