Divulgação
Divulgação

Presidente da FIA promete ações para homenagear vítimas de atentados em Paris

Francês Jean Todt quer prestar solidariedade aos compatriotas

CIRO CAMPOS, Estadão Conteúdo

14 de novembro de 2015 | 12h25

O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), o francês Jean Todt, disse neste sábado em Interlagos, durante os treinos livres do GP do Brasil, que a entidade deve promover uma série de ações em homenagem às vítimas dos atentados realizados em Paris na noite da sexta-feira. O dirigente confirmou a realização de um minuto de silêncio no domingo, antes da corrida, e disse estar assustado com as mortes.

"Como a nossa sede fica em Paris, ficamos chocados com o que houve na França na noite de ontem. Vamos promover algumas ações para prestar homenagem e manifestar o nosso luto", disse o dirigente francês. Todt não costuma vir para Interlagos todos os anos e nesta edição do GP do Brasil apareceu pela primeira vez no paddock na manhã deste sábado, quando se reuniu com outros dirigentes da categoria.

Todt foi diretor da Ferrari durante 13 anos e preside a FIA desde 2009. O dirigente explicou que, como a entidade se envolve na realização de campanhas sobre a segurança no trânsito e pela inclusão de mulheres no automobilismo, não poderia ficar inativa diante das mortes na capital francesa. "Vamos realizar um minuto de silêncio antes do GP do Brasil. Como francês, me sinto assustado por tudo o que ocorreu", afirmou.

O chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, também lamentou os atentados e apoiou a decisão do presidente da FIA de expressar o luto pelas tragédias em Paris. "Infelizmente vivemos em um mundo perverso, com pessoas cruéis. Não importa o que vamos dizer, não vamos trazer as pessoas de volta e nem conseguir parar o que está acontecendo", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.