Previsão de chuva anima Coulthard

Como não poderia deixar de ser, o GP da Grã-Bretanha nem bem começou e o caos já se instalou na região de Northamptonshire, local do circuito de Silverstone. Hoje, quando nem houve atividade na pista, o deslocamento de Londres até o autódromo, cerca de 150 quilômetros distante, consumiu dos perseverantes motoristas 5 horas. No autódromo, David Coulthard, da McLaren, vice-líder do Mundial e ídolo na Inglaterra, afirmou que desta vez pode vencer Michael Schumacher, da Ferrari, líder da temporada. A chuva, prevista para domingo, joga a seu favor. Tudo leva a crer que o desastre do ano passado se repetirá nesta edição do GP da Grã-Bretanha. Os organizadores da prova transformaram as estradas de acesso num canteiro de obras, onde passa um único veículo por vez. Hoje, o fato associado a um grave acidente na autoestrada M40, fez com que muitos profissionais da Fórmula 1 chegassem no autódromo apenas no início da noite. O que não deverá ocorrer amanhã, quando começam os treinos livres da corrida, a 11.ª do campeonato, e sábado e domingo, dias em que mais de 100 mil pessoas costumam acompanhar o evento. A previsão do tempo, exposta na sala de imprensa, é clara: chove no domingo. Se a meteorologia acertar, o que não é difícil na Inglaterra quando alguém diz que irá chover, as possibilidades de Coulthard diminuir a diferença de 31 pontos que o separa de Michael crescem bastante. "Já vimos na França que a McLaren acompanhou de perto a Ferrari", lembrou o escocês. E o time italiano fez um único treino em Silverstone diante de inúmeros da McLaren. Mas e Ralf Schumacher, que até agora tem sido o maior adversário do piloto da Ferrari? "Tudo irá depender da evolução dos nossos pneus", disse hoje o alemão da Williams. Semana passada a Michelin, que fornece pneus para a escuderia inglesa, trabalhou no Circuito da Catalunha, em Barcelona, molhado artificialmente, um novo tipo de pneu para chuva, a fim de reduzir a diferença de desempenho do seu produto em relação ao Bridgestone, marca da Ferrari e da McLaren. A McLaren reviu completamente a eletrônica dos carros de David Coulthard e Mika Hakkinen, para evitar novas panes no grid, como as que já deixaram seus dois pilotos parados, antes da largada. Já a Ferrari confirmou que irá utilizar na corrida o motor de classificação do GP da França, mais potente que o utilizado até então durante as provas. Hakkinen desmentiu, oficialmente, hoje, que esteja pensando em abandonar as pistas. "Temos a opção sobre o futuro de Hakkinen e Coulthard e em breve anunciaremos os nossos pilotos para 2002", revelou Ron Dennis, diretor da McLaren. Salvo uma surpresa, os dois serão confirmados. Rubens Barrichello, da Ferrari, tem em Silverstone sua melhor chance de largar novamente na pole e realizar outro grande trabalho, como na edição do ano passado, em que largou em primeiro e liderou até enfrentar uma perda de pressão hidráulica. Rubinho respondeu hoje, de novo, ao ataque de Eddie Irvine, da Jaguar, que o chamou de chorão. "Quando eu dirigia um carro branco e não verde, fiz bem mais pontos que o Eddie." Na sua última temporada na Stewart, antigo nome da Jaguar, em 1999, Rubinho somou 21 pontos, enquanto ano passado, no mesmo time, o norte-irlandês fez apenas 4.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.