Problema nos boxes prejudicou Rubinho

O brasileiro Rubens Barrichello fez uma grande corrida neste domingo, no GP de Monza de Fórmula 1, na Itália. Rubinho chegou em segundo lugar, atrás do colombiano Juan Pablo Montoya, mas poderia ter conseguido a vitória se não fosse um problema na sua primeira parada nos boxes, quando perdeu preciosos segundos.Volta de número 40, uma antes de Rubens Barrichello fazer seu segundo pit stop. Ele lidera a prova enquanto Juan Pablo Montoya, em segundo, está 11 segundos e 790 milésimos atrás. Na passagem seguinte, quando Rubinho cruza a linha de chegada, por dentro dos boxes, essa diferença sobe para 13 segundos e 526 segundos. O piloto da Ferrari perde 6 segundos e quatro décimos na operação de reabastecimento e troca de pneus. Ao retornar à pista, sai atrás não só de Montoya como do seu companheiro, Ralf Schumacher, ambos da Williams.Se tivesse perdido 6 segundos e quatro décimos na sua primeira parada, na 19ª volta, e não 16 segundos e três décimos, como ocorreu, Rubinho entraria para fazer seu segundo pit stop não com uma diferença de 13 segundos e 526 milésimos, mas com 23 segundos e 426 milésimos. Ou seja, deixaria os boxes lado a lado com o colombiano, o que lhe daria a chance de lutar diretamente pela vitória. Por causa do problema com o sistema de reabastecimento na primeira parada, o brasileiro perdeu precioso tempo, que acabou por refletir-se na sua segunda saída dos boxes.Quando retornou à competição, estava 6 segundos e 539 milésimos atrás de Montoya e a 1 segundo e 967 milésimos de Ralf. Na 47ª volta, de um total de 53, Rubinho ganhou a segunda posição do alemão de forma espetacular, na freada da Variante del Rettifilo, a primeira depois do circuito."Acho que hoje daria para ganhar", falou Rubinho. Mas a segunda colocação no GP de Monza de Fórmula 1 não pareceu incomodá-lo. A falta de um acordo entre os pilotos sobre não haver ultrapassagens nas duas primeiras chicanes o frustrou mais. "Estou decepcionado. Nós pedimos duas curvinhas, não duas voltas." O brasileiro ainda lembrou que ano passado Pedro de la Rosa, da Jaguar, quinto colocado neste domingo, caiu a centímetros da sua cabeça, depois do acidente que matou um comissário, na largada do mesmo GP da Itália. "Eu não consegui parar de pensar no que aconteceu com o Alessandro Zanardi ontem (sábado)." O italiano teve as duas pernas amputadas em razão do grave acidente sofrido na etapa alemã da Fórmula Indy.Ross Brawn, diretor-técnico da Ferrari, explicou o que ocorreu no pit stop de Rubinho: "Usamos o mesmo equipamento para Rubens e Michael e há um segundo pronto, na reserva, posicionado atrás." Assim que os mecânicos viram que sairia gasolina do primeiro, retiraram a mangueira do segundo. "Este estava programado para a primeira parada de Michael e, por isso, tinha mais gasolina que a planejada para Rubens." Foi por esse motivo que Rubinho fez seu primeiro pit stop na 19ª volta e o segundo na 41ª e não na 39ª, como se esperava. O brasileiro percorreu o mesmo número de voltas (22) de Michael, que parou na 18ª e na 40ª.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.