Problemas com rivais garantem pole para Raikkonen

Alonso e Massa erram em suas voltas rápidas e Hamilton bate durante classificação. Finlandês faz bom treino

21 de julho de 2007 | 15h25

Normalmente considerado azarado no mundo da Fórmula 1, o finlandês Kimi Raikkonen pode se considerar com sorte. O piloto da Ferrari fez, neste sábado, a pole position para o GP da Europa em uma boa volta no final do treino, enquanto todos os seus principais rivais tiveram problemas durante a última parte da classificação.   "Na classificação para o GP da Inglaterra cometi um erro em minha última volta rápida e isto me tirou a pole, mas isto acabou não acontecendo hoje [sábado]. Durante as duas primeiras partes do treino tive problemas de aderencia, mas o carro se comportou bem na última parte, com o combustivel que usaremos na corrida", disse o finlandês.   Segundo Raikkonen, a interrupção do treino por causa do acidente de Lewis Hamilton - um de seus rivais na briga pela pole - acabou atrapalhando. "A interrupção pelo acidente de Hamilton - que não se machucou, e é isto o que importa - prejudicou o treino. Mas isto não impediu que a gente conseguisse pelo menos uma volta boa. Esperou poder usar esta pole para poder fazer uma boa corrida."   Logo atrás do finlandês da Ferrari, ficou o bicampeão Fernando Alonso, que lamentou um erro durante sua última volta. "Dei uma escapada na curva 5 e tive sorte por não rodar. Mas de qualquer forma isto me custou mais de meio segundo e a perda da pole", disse o espanhol, que espera um resultado melhor na prova. "Nosso carro evoluiu bem durante o final de semana e espero que esta evolução seja suficiente para vencermos a corrida."   Outro que também lamentou a interrupção do treino foi o brasileiro Felipe Massa, quarto no grid. "Na primeira e na segunda partes da classificação meu carro estava muito bom. A parada após o acidente de Hamilton certamente não nos ajudou e talvez tenha perdido o meu melhor momento", disse o piloto da Ferrari, que estava abrindo uma volta rápida no momento da batida.   "Em minha última volta rápida fui muito lento no primeiro e no terceiro setores, o que acabou custando alguns centésimos de segundo. De qualquer forma, estou confiante para a corrida por que tenho um carro bem acertado", revelou o brasileiro.   Apenas com o 14.º lugar no grid, o brasileiro Rubens Barrichello reclamou da falta de competitividade de seu Honda. "A classificação foi difícil. Precisaríamos baixar uns três ou quatro décimos para fazer alguma diferença, e não foi possível tirar mais do carro. Em termos gerais fiquei bastante contente com minhas tentativas, mas minha volta rápida ao final da segunda fase não foi tão boa por causa do tráfego."

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1RaikkonenMassa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.