Reprodução: Instagram
Reprodução: Instagram

Promessa do motocross de 17 anos morre após bater em árvore

Sebatian Frostini completava uma sessão de treinamento, quando a tragédia aconteceu

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2020 | 14h01

Faleceu Sebatian Frostini, jovem promessa do motocross de apenas 17 anos, nesta sexta-feira. A tragédia ocorreu durante uma sessão de treinamento na província de Sondrio, na Itália. Segundo relatos da imprensa local, Frostini se chocou contra uma árvore. O impacto da batida lhe causou uma hemorragia interna incontrolável. 

Seu pai, que também atuava como seu treinador, presenciou o acidente e chamou por socorro. O garoto foi resgatado de helicóptero, mas não resistiu aos ferimentos. "Meu bebê morreu em meus braços", contou Max, pai de Sebastian, em entrevista ao jornal Il Giorno. "O impacto que ele teve com o peito contra a árvore foi tremendo", acrescentou.

Max detalhou que estava a cerca de cinco metros de Sebastian na hora do acidente. "Corri imediatamente até ele", disse. O pai ainda afirmou que o pedido por socorro partiu do próprio filho logo após o choque. "Papai, chame a ambulância", disse o garoto, segundo Max. "Tirei o capacete dele e tentei praticar o boca a boca", contou o pai.  

Sebastian corria pela Jrt Mx da Calco. A equipe prestou solidariedade à família e lamentou a morte do jovem piloto. "É difícil para nós comunicarmos tudo isso", escreveu a Jrt, que acrescentou: "Com o coração partido, comunicamos que hoje nos deixou um cara muito bom, o membro da nossa equipe Sebastian Fortini. Condolências a toda família Fortini".

Max disse que num momento tão difícil, o que lhe consola é saber que o filho faleceu "fazendo o que mais amava". Sebastian era considerado um dos pilotos mais populares de sua equipe. Ele se preparava para o início dos campeonatos regionais e nacionais.

Tudo o que sabemos sobre:
MotocrossmotocicletaSebatian Frostini

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.