Promotor critica mistério da F-1

A idéia dos GPs de Fórmula 1 vêm de corridas em estradas pela Europa. Um autódromo não é mais do que uma tentativa de simular aquelas provas, conceito totalmente oposto ao norte-americano, de circuitos ovais, lugares preparados mesmo para se ver uma competição de carros. A imagem é de Tamas Rohonyi, promotor do Grande Prêmio do Brasil em Interlagos, para lembrar os "artistas" da pista que o verdadeiro campeão da temporada é justamente aquele que passa por todos os obstáculos de todos os circuitos. Essa idéia de um campeão - de braço, que não reclame tanto - faz parte da idéia maior, de uma espécie de retomada de origens da F-1 e que envolve também o resgate do glamour da categoria. Que não pode ser criado, ser artificial. "E o caminho para isso passa por uma mudança de atitude por parte das equipes e só poderá ser tomado através dos patrocinadores." A Fórmula 1 tem fortes raízes comerciais em São Paulo, diz Tamas."O que fazemos aqui é um milagre. Temos uma região debilitada, uma pista muito antiga, o esforço grande da Prefeitura de uma cidade difícil. O evento é sustentado por grandes empresas que também são patrocinadoras das equipes, como Philip Morris, Mobil, Mercedes etc. São elas que terão de ajudar nessa mudança de atitude." Segundo Tamas, já existe "um certo movimento" para essa volta às raízes da F-1, mas é preciso "humildade, sensibilidade para deixar de lado um tanto de arrogância" tanto por parte das equipes como também dos patrocinadores para que o ambiente não seja tão difícil e frio como se tornou, com a categoria tentanto afastar as pessoas do espetáculo."Senão, se faria tudo em um estúdio de tevê, se montaria um circuito, até com ar condicionado, para que ?os artistas? que reclamam do calor. A F-1 se distanciou da realidade. Está na hora de voltar ao mundo real.?Exagero - Nas palavras do promotor do GP do Brasil, o que os pilotos mais importantes falam é um tanto exagerado. Emenda: "Tanto que chega aqui um garoto sul-americano, colombiano, não reclama de nada e dá um show. O pessoal da F-3000 estava meio assustado de vir para a América pela primeira vez. E todos saíram daqui no sábado com uma opinião unânime: foi uma experiência maravilhosa, emocionante para pilotos jovens correndo na mesma pista por onde passaram Jack Stewart, Émerson, Pace, Ayrton Senna, Prost. É como uma cantora nova no Scala de Milão."Sobre o futuro do autódromo de Interlagos, Tamas comenta: "O que fazemos aqui é um milagre. Temos uma região debilitada, uma pista muito antiga, o esforço grande da Prefeitura de uma cidade difícil. Mas a prefeita Marta Suplicy e a secretária de Esportes Nádia Campeão estão empenhadas. A Nádia é rápida, objetiva, sabe o que vai fazer e quer fazer bem-feito." Segundo Tamas, a Prefeitura quer utilizar o local o ano todo, como área de lazer. Diz que as duas têm boas idéias. Poderiam convocar um grupo de trabalho com as empresas patrocinadoras, para estudar cessão para eventos em troca de manutenção, por exemplo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.