Prost critica posição de Rubinho na Ferrari

O francês Alain Prost elogiou, nesta quarta-feira, Rubens Barrichello, e atacou com veemência Michael Schumacher e a Ferrari. O francês quatro vezes campeão do mundo, 1985, 1986, 1989 e 1993, afimou em entrevista publicada pelo jornal inglês The Sun. ?Sinto-me enojado com a maneira como alguns pilotos estabelecem as condições de primeiro piloto, relegando ao número dois apenas a opção de lhe lamber as botas.? Não é de hoje que Prost nutre certa mágoa pela Ferrari. Sempre que pode a ataca, às vezes com críticas fundamentadas. Ele disputou os mundiais de 1990 e 1991 pela equipe italiana Ferrari e, em razão de definir seu carro como um ?caminhão?, acabou nem mesmo correndo a última etapa do campeonato, em Adelaide, em 1991. Os italianos o substituíram por Gianni Morbidelli. Sobre o trabalho em equipe da Ferrari, no GP dos Estados Unidos, este ano, Prost comentou. ?Fiquei doente na hora da largada.? Na sua visão, Rubinho, orientado pelo time, não buscou toda velocidade que poderia para segurar atrás de si os pilotos que estavam do lado direito do grid, como Juan Pablo Montoya, a fim de permitir a Michael Schumacher, que largara em oitavo, ganhar várias posições. ?Eles foram longe demais. O Michael é um piloto excepcional, mas tudo trabalha a seu favor. Nunca teve oposição forte dentro da escuderia.? A Ferrari não é justa com Rubinho, para Prost. Foi além: Schumacher não teria conquistado seu sexto título, este ano, se a Ferrari tivesse dado as mesmas condições a Rubinho. ?Se não tivesse dois pilotos de sucesso, não teria obtido as conquistas dos últimos anos.? Prost já compartilhou a equipe com Niki Lauda, Keke Rosberg, Nigel Mansell e Ayrton Senna, todos também campeões mundiais. GP de Macau - Nelsinho Piquet disputa no fim de semana a mais importante prova da Fórmula 3, nas ruas da ex-colônia portuguesa na China, num dos mais exigentes circuitos do mundo. Nada menos de 30 pilotos, de 17 países, vindos dos mais importantes campeonatos da categoria no mundo estão inscritos. Será a 50ª edição do evento que passou a ser realizado com os monopostos de Fórmula 3 em 1983, ano em que o campeão foi Ayrton Senna. Este ano Nelsinho participou de outra prova extra importante, o Marlboro Master, em Zandvoort, Holanda, também com o melhor da Fórmula 3. Largou na pole e chegou em segundo. O filho de Nelson Piquet concluiu sua temporada de estréia na Fórmula 3 Britânica na terceira colocação, com seis vitórias, oito pole positions e seis voltas mais rápidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.