Punido, Sebastian Vettel vai largar dos boxes no GP dos EUA

Punido, Sebastian Vettel vai largar dos boxes no GP dos EUA

Piloto da Red Bull usará sexto motor na temporada, enquanto o regulamento permite apenas cinco e terá corrida prejudicada

Estadão Conteúdo

31 de outubro de 2014 | 17h26

Pole position nas duas corridas anteriores em Austin, Sebastian Vettel viverá situação completamente oposta na edição deste ano do GP dos Estados Unidos de Fórmula 1. No próximo domingo, o tetracampeão vai largar dos boxes por causa de uma punição, resultado da troca de toda a unidade de potência de sua Red Bull.

Ele teve a punição confirmada nesta sexta-feira. A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciou que Vettel precisará usar um sexto motor no Circuito das Américas - o regulamento estabelece que cada piloto utiliza apenas cinco em todo o campeonato. 

Por usar um motor extra, o alemão será punido. A Red Bull vinha tentando adiar a pena desde o retorno da F1 após o recesso de verão. No GP da Bélgica, ele teve problemas no quinto motor e precisou recorrer a unidades anteriores para conseguir correr sem sofrer punição. 

A equipe, contudo, decidiu lançar de nova unidade nos Estados Unidos, que contará com apenas 18 carros no grid. A quantidade menor de rivais tornará menos difícil a recuperação de Vettel durante a prova, desfalcada das nanicas Caterham e Marussia.

A punição por troca de motor pode variar de uma perde de cinco posições no grid até a largada do pit lane. Vettel cumprirá a sanção mais dura porque trocará todos os componentes da unidade de potência, formada por motor, dois sistemas de recuperação de energia, turbo, armazenador de energia e um sistema de controle eletrônico.

Sem chance de brigar pela pole no treino classificatório deste sábado, Vettel não deverá desgastar muito seu carro na véspera da corrida. Mas a Red Bull garantiu que ele ao menos dará algumas voltas no circuito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.