Raikkonen admite: "Ficou difícil"

Apenas cinco minutos depois de regressar aos boxes, Kimi Raikkonen deixou o motorhome da McLaren pela porta da cozinha, na parte dos fundos, sem falar com a imprensa. Pouco antes, na 35ª volta do GP da Alemanha de Fórmula 1, quando era líder com uma vantagem de 11,3 segundos sobre o espanhol Fernando Alonso (Renault), o piloto finlandês teve problemas em seu carro - dessa vez, neste domingo, em Hockenheim, foi o sistema hidráulico que falhou.De macacão e tudo, Raikkonen entrou no seu carro Mercedes preto e saiu acelerando fundo. Revoltado com mais um problema em sua McLaren, ele viu o título da temporada ficar bem mais longe, já que Alonso ganhou a prova na Alemanha e disparou na liderança - a diferença entre os dois passou de 26 para 36 pontos, faltando 7 etapas para o final do campeonato.Raikkonen fugiu dos jornalistas, mas conversou com a assessora de imprensa da McLaren, Ellen Kolby. "O que posso dizer? É sempre terrível abandonar uma prova, mas quando se está na frente, com boa vantagem, é bem pior", disse o piloto finlandês. "A vitória estava nas mãos. É incrível a minha falta de sorte."Essa foi a sexta vez no ano em que um problema lhe tira a chance real de um grande resultado. Tudo começou na segunda etapa do campeonato, na Malásia, quando a válvula do pneu falhou e Raikkonen quase sofreu um acidente - terminou em 9º lugar.Em Ímola, no GP de San Marino, quebrou um semi-eixo e ele abandonou, quando era líder com uma boa vantagem. Depois, em Nurburgring, no GP da Europa, Raikkonen estava em primeiro lugar até a última volta. De repente, o pneu dianteiro direito, já desgastado, causou uma vibração tão grande na suspensão que ela "explodiu" - Alonso herdou a vitória.Nas duas etapas anteriores, na França e na Inglaterra, o finlandês teve dois motores quebrados nos treinos livres e perdeu 10 posições no grid. Mesmo assim, acabou as corridas em segundo e em terceiro lugares, respectivamente. Até a prova deste domingo, em Hockenheim, quando o câmbio travou, por perda de pressão hidráulica, e evitou uma vitória certa de Raikkonen, para alegria de Alonso, que herdou a primeira colocação novamente.Por isso mesmo, Raikkonen parece já ter desistido da disputa com Alonso. "Se ainda tenho chances de ser campeão? Matemáticas sim. Ficou difícil. Mas o título de construtores ainda dá", afirmou o piloto finlandês da McLaren.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.