Silvia Izquierdo/AP
Silvia Izquierdo/AP

Raikkonen diz ainda não saber qual será seu futuro

Piloto finlandês, campeão da F-1 em 2007, pode voltar a correr pela McLaren ou disputar o Mundial de Rali

Thiago Arantes, Agencia Estado

15 de outubro de 2009 | 11h38

O piloto finlandês Kimi Raikkonen afirmou nesta quinta-feira, em São Paulo, que ainda não sabe qual será seu destino em 2010. Em Interlagos, no domingo, ele fará sua penúltima corrida pela Ferrari, equipe pela qual conquistou o título da Fórmula 1 em 2007 - a escuderia italiana já anunciou a contratação do espanhol Fernando Alonso para ser o companheiro do brasileiro Felipe Massa na próxima temporada.

Veja também:

som Ouça a entrevista de Felipe Massa

video TV ESTADÃO - Veja a entrevista de Barrichello

F-1 2009 - tabela Classificação | especialCalendário

especialESPECIAL - Jogue o Desafio dos Pilotos

blog BLOG DO LIVIO - Leia mais sobre a F-1

blog SPF1 - Leia mais no blog do GP do Brasil

"Não tenho planos", disse Raikkonen, questionado sobre quais seriam os possíveis caminhos de sua carreira. O finlandês estaria nos planos das equipes McLaren e Toyota. Também existe a possibilidade de ele trocar a Fórmula 1 por competições de rali. Mas, pela sua reação ao ser perguntado sobre a disputa do título do Mundial de Rali deste ano, entre o finlandês Mikko Hirvonen e o francês Sebastien Loeb, Raikkonen não pareceu muito interessado na categoria.

"Seria melhor que o finlandês ganhasse. Mas eu nem o conheço direito, então para mim não faz a menor diferença. Não passo muito tempo pensando nisso", afirmou Raikkonen, ao falar sobre o Mundial de Rali. A Nascar, que tem sido descoberta recentemente por ex-pilotos da Fórmula 1 - como Juan Pablo Montoya e Jacques Villeneuve - também não parece uma opção. "Eu faço o que quiser na minha vida. Então poderia correr lá, se quisesse. Mas não sou um dos maiores fãs da Nascar", avisou o finlandês.

Raikkonen só amenizou o mau humor ao falar sobre o circuito de Interlagos, palco da conquista do seu título na Fórmula 1, há dois anos. "É uma pista especial para mim, conquistei meu título aqui e foi uma sensação fantástica. Tentarei fazer o melhor possível para brigar por uma posição entre os primeiros colocados, mas não será fácil", disse o finlandês, já adiantando a sua expectativa sobre o GP do Brasil, que acontecerá no domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.