Raikkonen diz que precisa de um milagre para ser bicampeão

O atual campeão da Fórmula 1, KimiRaikkonen, disse na quarta-feira que precisará de um milagrepara conquistar o bicampeonato, depois de um decepcionanteGrande Prêmio da Itália. A quatro corridas do final da temporada, o piloto daFerrari está em quarto no Mundial, 21 pontos atrás do líderLewis Hamilton, da McLaren, após terminar em nono em Monza. O finlandês, que venceu o último campeonato depois desuperar uma vantagem de 17 pontos nas últimas duas corridas, serecusou a desistir do título embora não tenha pontuado nasúltimas três corridas. "Você não tem que ser o Einstein para entender que este nãoé o jeito certo de lutar pelo título", disse Raikkonen ao siteda Ferrari (www.ferrariworld.com). "Ainda não acabou, mas agora precisarei de um milagre, comofazer um raio cair duas vezes no mesmo lugar". O brasileiro Felipe Massa, companheiro de Raikonnen naFerrari, terminou o GP de Monza em sexto, uma posição na frentede Hamilton, e está a apenas um ponto do inglês naclassificação. Raikkonen, que renovou o contrato com a Ferrari até 2010 nasemana passada, ainda estava relutante em se comprometer comseu companheiro de equipe. "As coisas não estão saindo do meu jeito", disse. "Algumasvezes isso acontece, mas não mudarei meu humor ou minhadeterminação. Quero tentar vencer novamente esta temporada." "Você nunca sabe o que vai acontecer em uma corrida e nãopode se programar", acrescentou o finlandês. "Obviamente, aequipe tem dois objetivos (o mundial de construtores e o depilotos) e eles farão o melhor para alcançá-los." "Eu farei o meu melhor... como sempre", completou. Raikkonen espera que o Grande Prêmio de Cingapura no dia 28de setembro, a primeira corrida noturna da Fórmula 1, sejamelhor para ele, depois de ter culpado a falta de aderência deseus pneus na pista molhada por seus problemas na Itália. "Parece que vai chover em todas as próximas corridas. Játivemos muita água em Monza... a atmosfera (em Cingapura) serámuito empolgante e a temperatura quente e úmida pode nos daralguma vantagem", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.